quinta-feira, 11 de agosto de 2016

SER QUEM SOU



uma geração de homens que eu amava findou
Foi reinar em outro tempo,  lugar não comum
Partiram os 3,
 um a um, ano a ano
Me deixaram os cheiros, as lembranças mais doces que poderia pensar em ter
Findou ali também um tempo em minha vida, um tempo de começo, de ser guiada pela mão, de colher o que outros plantaram
Um tempo de velhos patriarcas, pessoas amadas
Um tempo que tudo era possível
Errar sem culpa, chutar ser ofender, quebrar e poder colar
Lá se foram os três, altos, inteligentes, intrigantes em sua individualidade subjetiva, seu modo único de escolher cada um sua trajetória
Meus primeiros heróis
com cheiro de bem querer
com colo de quero mais
Meus primeiros exemplos de homem, de pai, de família.
Olhava-os de baixo para cima, em minha pequenez de criança
e assim continuei a olha-los na minha pequenez de vivência
Quem hoje me representa a não ser eu mesma?
Tempos outros, de abrimos nosso espaço, fazermos nossas escolhas , erradas ou não
Lutarmos nossas proprias batalhas de uma terra ainda sem rei
A quem devo o orgulho sentido quando definida por semelhante intelectual integrante da grande linhagem dos tres cavalheiros , que não meus amores?
Me ponho a pensar que  nenhum deles sequer  ousaram pensar desse meu amor-orgulho de filha-sobrinha- afilhada
meu pai Orion, meu tio Xeno , meu tio Laufran
o quanto sentia-me importante ao sentar a mesa com vocês, como ainda hoje, salta-me a felicidade aos olhos quando reconhecida uma de vocês, mesmo nunca sequer,  que seja, ter o poder de apenas refletir o brilho de um de vocês!!!
mas não importa…
saber de vocês, ouvir falar de vocês só isso me basta…
Contar aos meus filhos sobre como cada um de vocês foram e ainda são parte importantíssima de minha existência
Mas esse talvez seja o que nos mais justifique.
amo vocês
Oriane com orgulho Villanueva

SER QUEM SOU



uma geração de homens que eu amava findou
Foi reinar em outro tempo,  lugar não comum
Partiram os 3 um a um, ano a ano
Me deixaram os cheiros, as lembranças mais doces que poderia pensar em ter
Findou ali tambem um tempo de minha vida, um tempo de começo, de ser guiada pela mão, de colher o que outros plantaram
Um tempo de velhos patriarcas, pessoas amadas
Um tempo que tudo era possivel, errar sem culpa, chutar ser ofender, quebrar e poder colar
Lá se foram os três, altos, inteligentes, intrigantes em sua individualidade subjetiva, seu modo unico de cada um escolher sua trajetória
Meus primeiros heróis
com cheiro de bem querer
com colo de quero mais
Meus primeiros exemplos de homem, de pai, de família.
Olhava-os de baixo para cima, em minha pequenez de criança
e assim continuei a olha-los na minha pequenez vivência
Quem hoje me representa a não ser eu mesma?
Tempos outros, de abrimos nosso espaço, fzermos nossas escolhas , erradas ou não
Lutarmos nossas proprias batalhas de uma terra ainda sem rei
A quem devo o orgulho sentido quando definida por semelhante intelectual integrante da grande linhagem dos tres cavalheiros , que não meus amores?
Me ponho a pensar que  nenhum deles sequer  ousaram pensar desse meu amor-orgulho de filha-sobrinha- afilhada
meu pai Orion, meu tio Xeno , meu tio Laufran
o quanto sentia-me importante ao sentar a mesa com vocês, como ainda hoje, salta-me a felicidade aos olhos quando reconhecida uma de vocês, mesmo nunca sequer,  que seja, ter o poder de apenas refletir o brilho de um de vocês!!!
mas não importa…
saber de vocês, ouvir falar de vocês só isso me basta…
Contar aos meus filhos sobre como cada um de vcs foram e ainda são parte importantissima se minha existência
mas esse talvez seja o que nos mais justifique.
amo vocês
Oriane com orgulho Villanueva

segunda-feira, 23 de novembro de 2015

tudo I, em um segundo, estrela




Vamos?
Tudo está a nossa frente!!
Deixe agora o lugar do carona
Para mergulhar nas [in]possibilidades
Algo confesso: Sê plural
Hoje, amanheci por você
Vesti-me de sol, porque te encanta
Vamos!!!
O tempo urge, logo virarei estrela

segunda-feira, 16 de novembro de 2015

SUBJETIVIDADE

ALGUNS LERAM, OUTROS CONVIVERAM
INFELIZMENTE, NENHUM DELES CHEGARAM AO ENTENDIMENTO
TERIA EU NÃO TECIDO O PAPEL POR COMPLETO
TOCADO AO FUNDO EM ALGUM PONTO FRACO, ASSIM MANCHAnDO O PAPEL?

A QUESTÃO É QUE FARTEI-ME DOS FRACOS
DOS QUE PRECISAM ENTENDER O MESMO
SOMOS SINGULARES
SIM, GOSTARIA DE SER UM CAFÉ COM BOLO DE FIM DE TARDE BUCÓLICA.

TENHO CASCAS 
TENHO ASAS
E SÃO COLORIDAS

CHEGUEI AQUI EM ALGUMA CIRCUNSTÂNCIA QUE JÁ NÃO EXISTE MAIS

ENTÃO !!!!
CONCORDO
CADA UM ENTENDA COMO QUISER
OU NÃO ENTENDA NADA ASSIM COMO EU    

segunda-feira, 22 de dezembro de 2014

Um sentir coronariano




Esse é o resumo, de um capítulo mal escrito...
Entre vírgulas e reticências ( ela nunca usa ponto ) o arranjo da prosa soava bem quem a buscasse em suas histórias
 E logo o Epílogo, pulou por entre as pernas (sim neste caso , pernas não braços)

As decisões lhe caem bem, e deixar-se apaixonar ao longo de um capítulo parecia-lhe tentador, quem já não..?

E nesse tempo, que se conta em sóis nascidos, o dela, somente o dela soa mais coerente contar em batidas do coração

Mas onde está?
Ela procurou
Não achou
Nem conseguiu sentir
Mas liquidez faz parte absoluta, ser fluída talvez resolva...

E nos sonhos dormidos, variavelmente em noites infindáveis :
Sentiu o vazio, e contando seu tempo do seu jeito coronariano, continuou sentindo vazio

- Se não te comove,... pra quê?
Foi aí que ela terminou o dia, aquele que contamos em sóis...







sábado, 30 de agosto de 2014

Apenas, nada mais do que fomos

Hoje procurei entre minhas coisas, lá estava você e eu...
Eu, olhar inocente...
Você, apenas você...
O tempo passou, não somos mais...
Deixe-me ir... e levar comigo só as lembranças
Deixe-me ir... e deixe-se ir

sem título

Hoje com um suspiro fundo, depois que lhe dei sua mesadinha
meu filho disse que me amava.
Por que isso não me é suficiente?
Amor mais doce e singelo, que busquei a vida inteira...
Mas preciso de mais, talvez dentro do egoísmo que vivo, o quê faz-me
um estado de imersão de sentimentos, imersão sim, não inversão!
Como se algo estivesse ali mas lá no fundo, guardado.
Imerso mesmo...
Mas o que está latente, me tirando o sono, esse não se encontra afogado
entre meus dilemas do passado.
Está aí prá quem quiser ver, é só olhar com cuidado.
momento meu sem tempo definido, espaço meu ,sem paredes ou conceitos onde digo o que quero mesmo a quem não quer ouvir pois essa sou eu mesma a quem às vezes não quero ouvir

APRECIADORES

TENTANDO DESCOBRIR...

Minha foto
NA DUALIDADE DE MINHA ALMA ANDO CONFUSA...