quinta-feira, 31 de dezembro de 2009

terça-feira, 29 de dezembro de 2009

EPÍLOGO


Hoje percebi :
Nos perdemos...
no zigue zague das escadas rolantes,
enquanto tentava procurar o caminho
correto, me perdendo e voltando
refazendo todo percurso
percebemos a realidade batendo...
Não estavamos mais protegidos
por quatro paredes ...
Nosso mundo,
entre quatro paredes...
Não precisavam ser as mesmas paredes
mas era alí, que tudo acontecia e nos permitiamos...
Mas avançamos o sinal, pulamos para fora
saímos do imaginário, mudamos o cenário e não os personagens
Ousamos ir álem...
sentamos, conversamos algo, pessoas por perto
mundo real, testemunhas do nosso segredo
Elevadores, livros, conversa desconexa
arrastados pelo óbvio,
enfrentamos uma sala com testemunhas cegas
Mas era o que desejavamos?
Alí, celebramos o fim
que ainda não tinha me permitido perceber
...até então
Despedida com promessas vazias
sem vontade de ser
Em meu pensamento
um turbilhão,
com a sensação de ser o objeto direto do engano
O poder de percepção antes tão aguçado,
lembrava apenas da leitura
que fez dos seus olhos, isso me confundia...
Me embaralhava...
Tentava lembrar a palavra ou gesto 
fora do contexto...
A piada que saíu sem graça, ou sei lá mais o quê...
Mas fora de contexto eramos nós,
Inquilínos das quatro paredes

sábado, 26 de dezembro de 2009

SONHOS E DESEJOS

"Em última análise, amam-se os nossos desejos, e não o objeto desses desejos"
 Friedrich Nietzsche

ESPERO PROFUNDAMENTE...
AMOR
PAZ
SUCESSO
ALEGRIA
SEXO
DOÇURA
DINHEIRO
INESPERADO
TOQUE
LIVROS
APRENDER
OLHARES
AMIGOS
VERDADES
MENTIRINHAS
FILHOS
SAÚDE
DEUS
AROMAS
PÊSSEGO
PRAIA
VIAGEM
NADA DE MAIS,
ALÉM DO QUE JÁ POSSUO
ESPERO VIVER...

terça-feira, 22 de dezembro de 2009

Reflexo do pensamento





"Não invento nada; simplesmente, sou o mensageiro das minhas sensações",
Emil Cioran

sexta-feira, 18 de dezembro de 2009

enfim, então...



Às vezes ainda lembro-me de você...
Quando pego aquele restinho de hidratante,
quase acabando, que usei há tempos atrás
Organizando meu  closet ou gavetas de lingeries...
Livros, frases, alguns autores
que me remetem àquele tempo,
momentos eternizados em  algum lugar...
Assim me permito
Em ordem aleatória e momentos distintos
Seu rosto já anda embaçado, lembro-me pouco,
algo como
olhos sorrindo,
mãos frias transpirando
arrepio ao  toque...
Virou abismo entre os corpos
E  só aceitar...
Que tudo é efêmero...

quinta-feira, 17 de dezembro de 2009

esperança...


Prá mim o branco é a cor das possíbilidades
das mudanças mais concretas
de paz
da transparência de sentimentos
é assim no branco da alma
que quero ingressar
prá tudo o que me
espera
e prá tudo que espero
Com amor...

quarta-feira, 16 de dezembro de 2009

SAUDADES


TALVEZ NUNCA ME RECUPERE
NÃO QUERO DEIXAR DE SENTIR
O QUE ME FEZ VIVA E MULHER
DEU SENTIDO A PALAVRA
QUE VIROU VERBO
MAS NÃO DEIXOU DE SER ADJETIVO
DESEJOS CONGRUÊNTES
É ASSIM QUE QUERO
TALVEZ HOJE,
LEMBRAR

Em um dia de decepção


Não há caminho que nos distancie mais da felicidade que a grande vida, a vida de festas e banquetes, a high life; porque seu objetivo é transformar nossa miserável existência em uma sucessão de alegrias, de delícias e de prazeres, um processo que inevitavelmente culmina na decepção e na desilusão; assim como seu acompanhamento obrigatório, ou seja, o hábito das pessoas de mentir umas para as outras." (Arthur Schopenhauer, Aforismos para a sabedoria de vida in Parerga e Paralipomena)

PS :graças a jardim.net

domingo, 13 de dezembro de 2009

ele não pode...



O laço desatou
o cabelo cobria o rosto,
afastou com delicadeza
Ombros à mostra,
seus lábios tocaram
Em seu colo pousou
aquele corpo,
cheiro e medidas já conhecidas
Mãos e toques
Beijos tensos e intensos
Proíbidos,
pensamentos
e sentimentos...
Permitido,
somente o olhar,
que nada esconde
e tudo diz:
te quero

distância






Tracei uma linha entre momentos,
os  reais e os nossos...
Assim sentia-me segura...
Mas era pouco
Para você...
Circundou, em alto concreto
Deixando-me fora
Sua voz, tornou-se abafada
E aos poucos, deixei de
ouvir-te...

sexta-feira, 11 de dezembro de 2009

CHOQUE



VIVO A VIDA REAL...
PORTANTO, SEU MEDO ME OFENDE!!!!!!

quarta-feira, 9 de dezembro de 2009

QUIET

HOJE NÃO OUÇO O ECO
PORQUE NEM O VAZIO ESTÁ LÁ

segunda-feira, 7 de dezembro de 2009

(NÃO) QUERO...



Matei o querer...
Sufoquei e escondi qualquer vestígio
da doçura insinuante 
Troquei o jasmim pelo narciso
Por isso, entenda
que (não) te quero
...

sexta-feira, 4 de dezembro de 2009

Meu jardim...



"Caro visitante, aqui serás feliz.
O maior bem aqui é o prazer!"

Epicuro

PS: As cores são opcionais...

terça-feira, 1 de dezembro de 2009

MARGEM


Não quero parmanecer no limbo de sua existência
à margem do seu querer mais profundo
Insiste em aniquilar os sentidos
mais cruel que mil palavras de adeus
ausência absoluta de emoção


domingo, 29 de novembro de 2009

DE FORA



-EI VOCÊ, QUE ERGUE MUROS,  SOU EU,  A QUE CONSTROE PONTES... 





PERSONAGEM



Por que não percebeu que sempre foi vários há muito tempo?
amigo e inimigo
boxeador e nocauteado
traficante de emoções devidamente escondidas, ilícitas
vitíma e criminoso de seus próprios caprichos
desempenha tantos papéis que às vezes confunde qual
entidade está presente...
Mas por vezes cai, demora um tempo prá recobrar os sentidos
Situa-se
Lembra quem precisa ser naquele momento, levanta
e entra em cena.




sexta-feira, 27 de novembro de 2009

VIDA

Há quem ache a moça romântica...
Nostálgica
Entretanto sentir emoções, cingidas à pele
Nada tem a ver com amor
Mas com o viver inquietante




LUTA

Às vezes sinto que vou sucumbir...
Ao medo, desesperança e o inevitável
Mas ao ser engolida
O buraco me vomita
Incomodo tanto...
Sou indigesta, teimosa, faço volume e então
Surjo, suja, descabelada, vomitada
Com uma força chorosa, quase imperceptível
Me debato por aqueles que amo
Supero o que faz vontade
de desistir





ÍNTIMO



Calor, praia...
Luxuriante e lascivo...
Escuto em meio ao silêncio
As lambidas do mar na areia
Quente e úmida
Ela permite
Ele naturalmente, sobe e avança
Luz, agora
Estrelas...prá que mais?
Realça o essencial
Cenário perfeito
Cintilante
Brilho prata
Movimentos ondulares
Nada sólido ou geométrico
Nem claro e definitivo


terça-feira, 24 de novembro de 2009

Eu te amo



Ah, se já perdemos a noção da hora
Se juntos já jogamos tudo fora
Me conta agora como hei de partir
Se, ao te conhecer, dei pra sonhar, fiz tantos desvarios
Rompi com o mundo, queimei meus navios
Me diz pra onde é que inda posso ir
Se nós nas travessuras das noites eternas
Já confundimos tanto as nossas pernas
Diz com que pernas eu devo seguir
Se entornaste a nossa sorte pelo chão
Se na bagunça do teu coração
Meu sangue errou de veia e se perdeu
Como, se na desordem do armários embutido
Meu paletó enlaça o teu vestido
E o meu sapato inda pisa no teu
Como, se nos amamos feito dois pagãos
Teus seios inda estão nas minhas mãos
Me explica como que cara eu vou sair
Não, acho que estás te fazendo de tonta
Te dei meus olhos pra tomares conta
Agora conta como hei de partir

Tom Jobim e Chico Buarque


domingo, 22 de novembro de 2009

AMOR


O QUE É O AMOR SENÃO NÃO TER DIMENSÃO DO COMEÇO, MEIO E FIM...


sexta-feira, 20 de novembro de 2009

FILHOS


Para o resto da minha vida quero...
Aquele brinquedo, o dente que caiu...
A carícia mais doce, o olhar procurando o meu...
Apenas para buscar minha aprovação,
Roupinhas sujas, pés descalços
Brigas na escola
O não querer contra o meu querer
Dedinhos sujos de doce, sorvete
cheirinho de chiclete
Brincadeiras, cócegas
Lágrimas e gargalhadas
Conto de fadas
História para dormir
Abraços e soninhos que só filhinho tem 
Beijinho de mamãe que cura
Dores de garganta
corridas ao hospital
Noites mal dormidas,
Sozinha nunca mais,
Cheirinho de vocês.





mulher


Talvez não houvesse em meu olhar
a malícia e a dor
Em meus modos, trejeitos
de uma inocência lânguida,
deu-se lugar ao real, maduro
Notando-se assim a sensualidade
do meu ser
Tornei-me mulher ao espelho
e aos que me viam com outros olhos 


quarta-feira, 18 de novembro de 2009


Aqueles que me têm muito amor
Não sabem o que sinto e o que sou...
Não sabem que passou, um dia, a Dor
À minha porta e, nesse dia, entrou.
E é desde então que eu sinto este pavor,
Este frio que anda em mim, e que gelou
O que de bom me deu Nosso Senhor!
Se eu nem sei por onde ando e onde vou!!
Sinto os passos de Dor, essa cadência
Que é já tortura infinda, que é demência!
Que é já vontade doida de gritar!
E é sempre a mesma mágoa, o mesmo tédio,
A mesma angústia funda, sem remédio,
Andando atrás de mim, sem me largar!

Florbela Espanca

terça-feira, 17 de novembro de 2009

CÓPIA


Hummm! Identidade literária(abuso!), que seja minha?
Já que quando me volto para dentro ouço o eco de outras almas(acho que tô possuída!)
mesmo desconhecidas para mim, mas em comum, tão inquietas quanto...
Mas isso prova, que sou comum, vida comum, sem grandes pretensões.
Inclusive a de não querer surpreender...



domingo, 15 de novembro de 2009

COR


O cúmplice, do mortificacante dia a dia,
Esgueirando-se por entre abraços
esquecidos, dores dissolutas...
Sorvendo cada resto de ar,
que sai daquele peito fatigado.
Onde está minha alma?
Corro lápis, instrumento lúdico
em minhas mãos, totalmente sem cor
É cinza e gélido...
Contrasta com a cor dos meus sonhos,
coloridos, indefinidos...
Alguém disse-me para não notar essa cor,
desmascarar o vínculo
Cair na real
Mas talvez, sonhos pálidos 
apareçam...
E tudo acaba

      

CONFUSÃO



E a cor do rabisco que deixei?
Por onde anda o aroma 
do outro dia vivido por nós?
Tentou me enganar
aproveitou a oportunidade,
dentro daquele texto robou-me a verdade
Mas não quero a verdade, 
Busco o sentido
ambíguo, 
vivido à flor da pele
Confusa, quase sem jeito
tento esquecer o que não me é essencial
sem cair na monotonia...
E lá vem você, de novo me confundir,
dar a cor e arrancar.
E dá com a mesma força que tira.
Mas ainda quero,
infinitamente,
até que não te aguente mais 


segunda-feira, 9 de novembro de 2009

TRISTE VERDADE



HOJE ESTOU PRÁ CHORAR...
ALGO SOMBRIO PENETROU
EM MINHA ALMA...
OLHO LÁ FORA ESTÁ TUDO ESCURO
MAS DIZEM QUE HÁ SOL...
ME CUBRO COM ROUPAS QUENTES
E DIZEM QUE O CALOR ESTÁ DE MATAR
MINHAS MÃOS ESTÃO GÉLIDAS
MEU ROSTO PÁLIDO
MEUS OLHOS ENEVOADOS
UMA FIGURA TACITURNA
ONDE ESTÃO AS CORES?
QUE MEUS OLHOS PINTAM
SEMPRE SEM MEDIDA...
SE OLHAR PRÁ DENTRO DE MIM
VEJO E SINTO UM VAZIO...
HOJE PRECISO QUE ENTENDAM-ME
QUE ACARINHE-ME,
PRECISO DE ALGO QUENTE E  DOCE
SEJA EM PALAVRAS OU PRÁ COMER
HOJE PRECISAVA DE VOCÊ


MUSA


TALVEZ EXPULSE DE MINHA ALMA
PENSAMENTOS AGONISANTES
QUE REMOEM POR OUTRA ALMA
QUE MESMO SEM TER ALMA NÃO
PERCEBE QUE A TEM...
MAS SEM ESTES PENSAMENTOS
TALVEZ TAMBÉM FALTE-ME A
INSPIRAÇÃO, DOLORIDA, SUAVE
QUE FAZ-ME MERGULHAR...
E POR ESSA DUVIDA DO FUNDO SEM
FIM, NÃO SEI QUANDO BATO O PÉ
PARA PODER EMERGIR
SERÁ QUE QUERO?

ERRADO



PODE SER, QUE ME ESCONDA
OU USE DE FORMA INAPROPRIADA,
UM RECURSO VIL PARA JUSTIFICAR
ATOS, ESSES QUE NÃO SÃO TÃO
IMPENSADOS, MUITO MENOS
INOCENTES...
RECORRO AO PROFUNDO, E LÁ
ME ESCONDO...
FECHO OS OLHOS E TUDO
TUDO FICA BEM...


sábado, 7 de novembro de 2009

NOVO

Quando penso que você já foi,
olho com outro olhar e te vejo difente...

29102009




O QUE FAZER NO ESCURO ONDE TODOS OS GATOS
SÃO PARDOS, TATEANDO PARA SENTIR...


REFLEXO



Por que nos seus olhos enxergo a mim?


INCONFESSO DESEJO

Queria ter coragem
Para falar deste segredo
Queria poder declarar ao mundo
Este amor
Não me falta vontade
Não me falta desejo
Você é minha vontade
Meu maior desejo
Queria poder gritar
Esta loucura saudável
Que é estar em teus braços
Perdido pelos teus beijos
Sentindo-me louco de desejo
Queria recitar versos
Cantar aos quatros ventos
As palavras que brotam
Você é a inspiração
Minha motivação
Queria falar dos sonhos
Dizer os meus secretos desejos
Que é largar tudo
Para viver com você
Este inconfesso desejo

Carlos Drumond de Andrade

quinta-feira, 5 de novembro de 2009

PABLO

Não te quero senão porque te quero

e de querer-te a não querer-te chego

e de esperar-te quando não te espero

passa meu coração do frio ao fogo.

Te quero só porque a ti te quero,

te odeio sem fim, e odiando-te te rogo,

e a medida de meu amor viageiro

é não ver-te e amar-te como um cego.

Talvez consumirá a luz [...]


Pablo Neruda in Soneto LXVI

quarta-feira, 4 de novembro de 2009

Carta a um estranho íntimo



Você supõe que me conhece...
Não é você quem segura minhas mãos
quando sinto dor, no corpo ou na alma...
Não é você quem consola quando não
consigo controlar as lágrimas...
Por isso, não se preocupe não estou
e não há mínima possíbilidade de me envolver
além disso...
Somos o momento, me enlaço em você e digo
o que acho que pede o momento, e o que eu gosto
de ouvir da minha boca...
às vezes não tão verdades, às vezes não tão mentiras
Você não me conhece , nem supõe quem sou...
Apenas imagina...
Não sinto a necessidade de todo tempo articular
frases, ou mesmo parecer e mostrar inteligência.
Tão pouco artifícios programados...
Mas confesso, emburreço quando ouço coisas absurdas,
que não se encaixam na situação ou ferem meu bom senso!
Digo que não tenho dúvida da mulher que sou,
mas não quer dizer que não tenho dúvidas...
Coleciono  algumas certezas, uma delas é que
muita teoria faz mal...
E entre tropeços e acertos todos vividos, tiro o melhor
de cada situação...


terça-feira, 3 de novembro de 2009

SEGREDO

COM O GAS LIGADO,
DURMO COM VELAS ACESSAS
ANDO POR BECOS ESCUROS
VIVO COM PORTAS DESTRANCADAS
POUCAS CERTEZAS TENHO
SEI QUE SOU FRÁGIL E PERECÍVEL
 MOSTRAR-ME?
PRÁ QUÊ?
MUITO MENOS QUEM REALMENTE SOU
INTÊLIGENCIA, FRASES ARTICULADAS
USO QUANDO PRECISO
APRENDI QUE POSSO LIDAR COM AS DUAS DE MIM
DIVIRTO-ME COM SUPOSIÇÕES
MAS SOU ALÉM DE TUDO ISSO
SEM ADJETIVOS
PARA TENTAR PRESTAR ATENÇÃO
LEMBRE E PENSE LIVRE
PODERÁ ENCONTRAR-ME
 NAS PÁGINAS DE BAUDELAIRE
 NA IGREJA,
EM QUALQUER LUGAR
ONDE SOU NECESSÁRIA,
TENTO ME ENCONTRAR

segunda-feira, 26 de outubro de 2009

RSVP


Te convido, a permear entre o improvável e o fugaz... 
mas sem condição alguma ou mesmo garantias
Sair da mesmice, antes idolatrada, desejada
Buscar,
sem pretenção de adquirir
Imergir,
para perder os sentidos e assim não lutar
Deixar-se levar, num bailado de corpos,
insones, famintos...
Saciar-se do inefável prazer, que só esse e não
outro te oferece.
Aceite,
vista sua fantasia, fuja, tropece, tenha medo...
Mas não me  deixe esperando   

toque


No minímo intrigante, a forma que meu olhar percorre seus angulos.
Vertiginoso
De encontro sua respiração rápida, fazendo com que saiam de mim toda louca imagem do seu corpo...
Desejo esse momento onde toco seu corpo te decorando. 

ECO


ANDO COM SAUDADES DE MIM...
DE DIVIDIR, SENTIR
DE SAIR POR AÍ, COM O VENTO NO ROSTO
DE NÃO PENSAR EM NADA
DE ME PREOCUPAR COM A COR DA CORTINA
QUE NUNCA VOU COLOCAR...
DA MAQUIAGEM ESTRATÉGICA
PARA CONFRONTAR...
DA ROUPA ESCOLHIDA DE FORMA
METICULOSA PARA IMPRESSIONAR
DO SALTO QUANTO MAIS ALTO MELHOR
DA TATTOO QUE PAGUEI E NUNCA FIZ,
DISPLISCENCIA AO DIRIGIR
BOM HUMOR AO ACORDAR
CANTANDO DESAFINADA NO BANHEIRO, 
DA BRIGA COMPRADA,
DO AMOR QUE SENTI
DO CORAÇÃO PALPITANDO
DO FRIO NA BARRIGA
DA VIDA À FLOR DA PELE
DO CHORO ENGASGADO
SAUDADES DE MIM

sexta-feira, 16 de outubro de 2009

DUVIDA


SER FORTE É...
MATAR E NÃO MORRER?
SOFRER E NÃO CHORAR?
MACHUCAR E SER ALHEIO?
AMAR E NÃO SENTIR?
OU AMAR E NÃO LUTAR?

DIFERENTE

PUDERA SER MELHOR
MAIS MANSA, MORNA
PUDERA SER MAIS COMPREENSÍVEL
AMAR QUEM ME AMA
ACEITAR AS PESSOAS COMO ELAS SÃO
RECONHECER O ERRO
USAR A RAZÃO
SER MENOS SENSÍVEL E MAIS FIRME
MOSTRAR FORTALEZA AOS PEQUENOS
SER HUMILDE DIANTE DA ARROGÂNCIA
PUDERA SER MAIS AMÁVEL
SER GENTE COMO TODA GENTE É
TER FÉ QUANDO MAIS PRECISO DELA
ACREDITAR QUANDO É IMPOSSÍVEL
PUDERA TER MAIS SONO QUANDO DELE PRECISO
NÃO NECESSITAR DE ALGUÉM PARA ME SENTIR MELHOR
PUDERA SER MAIS INDEPENDENTE
MAIS DOCE , MAIS SIMPLES
PUDERA

quarta-feira, 14 de outubro de 2009

sinto




no silêncio que se anuncia em minha alma já posso sentir a tempestade chegando...

sexta-feira, 2 de outubro de 2009

TEMPO MEU

PENSO EM TANTAS COISAS A ESCREVER,
MINHA VIDA, PESADELOS, AMORES,SONHOS
IMAGINAÇÕES E PROJEÇÕES...
PARO, DE REPENTE SINTO UM ARZINHO
GÉLIDO QUE VEM NÃO SEI DE ONDE, PERCEBO
A PORTA DO MEU QUARTO ABERTA, COISA MAIS
IRRITANTE PARA MINHA INDIVIDUALIDADE MONÁRQUICA
QUASE QUE INSTANTÂNEA...
FECHO A PORTA, ABSTENHO-ME DO MUNDINHO LÁ FORA,
SUSPIRO E LEMBRO TUDO QUE JÁ DEIXEI PRÁ TRÁS
E TUDO QUE AINDA POSSO FAZER.
NÃO MAIS QUE UM SEGUNDO OUÇO AS
PATINHAS DO CÃO ANDANDO PELA CASA, LÁ SE VAI
MAIS UMA VEZ TODA MINHA DESLOCAÇÃO DESSE MUNDO...
DIANTE DO CADERNINHO, CHEIO DE FOLHAS VAZIAS
PENSO...QUE MERDA, O CÃO TÁ SOLTO...!!!!
E MESMO NÃO SENDO UMA FIGURA DE LINGUAGEM,
O CÃO TÁ SOLTO...
DOU UM GRITO QUALQUER PARA ALGUÉM COLOCA-LO EM
SEU LUGAR.
TENTO DESESPERADAMENTE VOLTAR ÀS MINHAS REFLEXÕES
QUASE COMO UMA ORAÇÃO SINTO MEU CORPO AQUIETAR-SE
SENSAÇÕES BOAS ME INVADEM ENQUANTO CORRO COM A CANETA
NAS LINHAS EM BRANCO
NÃO TENHO INTENSÃO ALGUMA DE NÃO SER EU MESMA, JEITO, FALA, CHEIRO...
DEIXO AQUI PALAVRAS MINHAS, MULHER COMUM
QUE SE MISTURA FACILMENTE A MULTIDÃO...
MULHER COMUM, QUE PENSA COMUM...
NÃO USO ARTIFÍCIOS, NÃO JOGOS FRASES FEITAS DE
ALGUÉM NOTÓRIO PARA EXPOR E ATESTAR A
RAZÃO DE COMO PENSO...
USO DE PENSAMENTOS MEUS, SENTIMENTOS SIMPLES...
DEIXO AQUI O ECO DA MINHA ALMA, COMPREENDIDA OU NÃO
POR MUITOS OU POUCOS...ISSO BASTA-ME
AHHH SERIA TÃO BOM!!!!!
QUASE UMA UTOPIA
AGORA NÃO OUÇO O CÃO, NÃO SINTO O FRIOZINHO...
TÃO POUCO FALEI , DA MINHA VIDA, DOS MEUS PESADELOS
AMORES, SONHOS, IMAGINAÇÕES E PROJEÇÕES...

quinta-feira, 1 de outubro de 2009

10 DIAS

VOU TE MATAR
E ISSO NÃO TENHO DÚVIDA, NÃO TE QUERO
SAIA DE MIM, ME ABANDONE
E QUANTO MAIS INSISTIR MAIS TE QUERO LONGE
MINHAS ARMAS SÃO PODEROSAS
SOU FORTE O SUFICIENTE PRA SABER QUE NÃO TE QUERO
E SOBRE MIM NÃO TEM PODER ALGUM...

AMO

AMO VOCÊ, NÃO ASSIM COMO ESPERA...
AMO VOCÊ DE FORA PRÁ DENTRO,
AINDA NÃO APRENDI AMAR  DE DENTRO PRÁ FORA...
NEM SEI SE APRENDI A AMAR...
MAS AMO SEU OLHAR E O QUE ELE ME TRÁS...
ÀS VEZES TERNURA, ÀS VEZES INCONSTÂNCIA...
MAS AMO VOCÊ NÃO CERTA DO QUE ESTOU
DIZENDO, MAS AMO....
MAS SEMPRE TEMOS CERTEZA DO QUE SENTIMOS...OU NÃO?
EU NÃO, MAS SEI QUE TE AMO
CRESCE EM MIM...
UM JEITO DIFERENTE DE SER... TE AMANDO
MAS SO TE AMO PORQUE MUDEI...
MESMO COM MEDO TE AMO...
SE TE AMO, SERÁ QUE AMO DO JEITO QUE VOCÊ DESEJA ...?
OU NÃO DESEJA QUE TE AME...?
NÃO SEI QUANTO TEMPO PODE DURAR...
A ETERNIDADE DA MINHA VIDA OU MESMO
O TEMPO NECESSÁRIO DE TERMINAR ESSAS LINHAS...
MAS EU TE AMO
OU NÃO?

sábado, 26 de setembro de 2009

INSEGURANÇA


POR QUE TENHO QUE DEFINIR A IMPORTÂNCIA DOS
ACONTECIMENTOS EM MINHA VIDA PELA ÓTICA ALHEIA?
COMO PODE DEIXAR DE SER REAL E BELO PORQUE O
OUTRO NÃO SE IMPORTOU?
DEVO NEGAR SOLIDAMENTE AS MUDANÇAS POR MIM
SENTIDAS EM MINHA ALMA, PORQUE NÃO ME SENTI
DEMASIADAMENTE IMPORTÂNTE AO OUTRO?
HOJE ACORDEI ERA EU MESMA, MAS JÁ AGORA, DEPOIS
DE TANTO MUDAR, JÁ REALMENTE NÃO TENHO MAIS CERTEZA
DE QUEM SOU.
SOU FLUÍDA, GASOZA, VOLÁTIL...
EXTREMAMENTE AMBÍGUA...
MAS DESCOBRI QUE POSSO VIVER COM ISSO, E ACEITANDO
ESSA CONDIÇÃO ENTRO EM VÁRIOS UNIVERSOS...
PERDÔO COM VEEMÊNCIA QUEM ME CONDENA, POR NÃO ME ENTENDER
OU NÃO TENTAR APRECIAR O DIFERENTE...
MESMO NÃO ACEITANDO, SOMOS LIVRES EM PENSAMENTOS,
MAS RESPONSÁVEIS PELO ARRENDATÁRIO DE NOSSAS ALMAS ...
FLUTUO ENTRE PENSAMENTOS, SONHOS POÉTICOS, E INEXPLICAVELMENTE
MERGULHO DENTRO DO ABISMO NEGRO DA RAZÃO...
COM SEU DEDO APONTADO FAZENDO-ME CALCULAR E MEDIR...
E SINTO DE NOVO MEUS PÉS FINCADOS NO CHÃO, NUMA LUTA IDÍLICA
TENTANDO MEDIR, ENTENDER  O QUE O OUTRO PENSA, PARA QUE ASSIM 
CONSIGA AVALIAR O QUE VIVI.


   

terça-feira, 22 de setembro de 2009

CORPO

O PRATA  TE ADORNA...
REFLETE SUA COMPLEXIDADE
ILUMINA MINHA ALMA 
SUA COR, QUASE DOURADA, CONTRASTA
NA EXTENSÃO DO SEU CORPO, PERFEITO
SEU OLHAR EMOLDURADO, FORTE
ME PENETRA O CORPO
MENTE E ALMA
E ME DIZ O QUE SUA BOCA NÃO
OUSA PRONUNCIAR
SUA BOCA,DÁ O GOZO DAS PALAVRAS
QUE TAMBÉM MACHUCAM E DIZEM O QUE
MEUS OLHOS NÃO QUEREM VER...
SEUS BRAÇOS, LONGOS
COMO SUAS PERNAS 
QUE SE ENROLAM EM MEU CORPO
E ME DEIXAM SEM MOVIMENTO
PARADA, ESPERANDO A
PRÓXIMA SENSAÇÃO CHEGAR.    

CONCLUSÃO



TE DEIXEI PORQUE
SENTI QUE ME DEIXAVA
ESCREVENDO, CHEGUEI
A ENTENDER O QUE NUNCA TIVE
PERTO, PERCEBI O ABISMO
ENTRE NÓS
TENTANDO CONSTRUIR PONTES
ENXERGUEI O MURO  QUE ERGUEU
AFOGADA NAQUELA PORÇÃO DE
ÁGUA DESCONHECIDA
FOI ONDE VIVI
RESGATADA PELA RAZÃO
ONDE MORRI

CELESTIAL




ALGO ASSIM COMO UMA TEMPESTADE
VENTOS FORTES
CHUVA INTENSA, FABIANE
GALHOS QUEBRADOS, PORTAS À BATER
SEM TEMPO DE RECOLHER  A ROUPA NO VARAL
GABRIEL
MUITO MENOS OS BRINQUEDOS QUE FICARAM LÁ FORA...
JUSTAMENTE QUANDO ESCOLHE, PRÁ SAIR AQUELE SAPATO,
QUE LHE CUSTOU UMA PEQUENA FORTUNA...
MARI
PEGA DE SURPRESA...
ASSIM , ADRIANA, SÃO OS DIAS...
UM ANJO DISSE PRÁ MIM, QUE QUANDO SE ESTÁ NO OLHO DO FURACÃO, VÃO PINGANDO ANJOS, ALINE.
ASSIM COMO VÍRGULAS, PARA SEPARAR SITUAÇÕES, RÔ...
E O CÉU VAI FICANDO MAIS AZUL, OS VENTOS MAIS CALMOS...
JÁ NÃO SENTIMOS TANTO MEDO
LIANA.

domingo, 20 de setembro de 2009

PRINCESA

LEMBRANÇAS

VOU LEMBRAR O SOM DA PORTA BATENDO
POR TRÁS  DE VOCÊ
SUAVE , INDECISO...
VOU LEMBRAR DO SOM DOS SEUS PASSOS
NA ESCADA, SEU ULTIMO OLHAR PARA MIM
DA ULTIMA PALAVRA :  COTIDIANO
VOU LEMBRAR DO GOSTO DO BEIJO QUE 
VOCÊ NEGOU...E ACHEI GRAÇA
VOU LEMBRAR QUANDO DESVIOU O OLHAR,
QUANDO PERGUNTEI SE VIRIA...
VOU LEMBRAR DO SEU CORPO PERFEITO,
ENTRANDO NO CHUVEIRO
VOU LEMBRAR DO MOMENTO SÓ SEU, ENQUANTO
TE OLHAVA...
VOU LEMBRAR DO PRAZER QUE SENTIU, OUVINDO
O QUE QUERIA DA MINHA BOCA
VOU LEMBRAR QUANDO ME OLHOU E DEIXOU ESCAPAR
QUE MINHAS IMPERFEIÇÕES ERAM O QUE MAIS TE APETECIA
VOU LEMBRAR DA FORMA DECIDIDA QUE DESATOU O LAÇO
QUE PROTEGIA O MEU CORPO
VOU LEMBRAR DOS PÉS FRIOS QUE SUA COXA AQUECEU
VOU LEMBRAR DA FOME QUE SENTIA DO TEU CORPO
VOU LEMBRAR DO ULTIMA VEZ QUE ABRI A PORTA PARA VOCÊ
E TE VI ALI, PARADO ESPERANDO...
VOU LEMBRAR DA VONTADE CONTIDA
DE ME JOGAR EM SEUS BRAÇOS
MINHA PAIXÃO SOLITÁRIA
E POR FIM VOU LEMBRAR DO TEU CHEIRO FORTE
DO HOMEM QUE SEMPRE DESEJEI...
VOU LEMBRAR
SEMPRE

FDP

MEDO
SEU TOLO!
RI, BRINQUEI E CAÇOEI DE VOCÊ
ESBRAVEJEI NA SUA PORTA
DEI TAPAS NA SUA CARA
E POR MUITO TEMPO NÃO ME AMEAÇOU
ESPEROU O MOMENTO OPORTUNO...
MAS AÍ, CHAMOU A SUA CORJA
AO SEU LADO VEIO A PAIXÃO, AQUELA
ORDINÁRIA ASTUTA, JUNTO LOGO ATRÁS
A DOR...
ACABARAM COMIGO, ME NOCAUTEARAM,
COM REQUINTES DE MALDADE ARRANCARAM MEU
CORAÇÃO, TIRARAM MINHAS ENTRANHAS
RIRAM DE MIM, E POR ULTIMO, NÃO MENOS
TRÁGICO INSTALARAM- SE , COMO
PARASÍTAS QUE SÃO.
NÃO BRINQUEM COM O MEDO, ELE ATURA
DEPOIS TE PEGA

PRAIA

ACORDO, CABEÇA PESADA, MÃOS E BRAÇOS
ADORMECIDOS...
SONHOS, ESSES SIM DESTROÇADOS
TOMO AQUELE CAFÉ, JÁ SEM CARDAMOMO, MAS
COMO O BOLO GORDUROZO
NESSA MANHÃ DE CÉU AZUL, A ÚNICA COR QUE CONSIGO
VER NESSES DIAS,MAR AGITADO, LENDO MINHA MENTE,
PURA SIMBIOSE DOS MEUS PENSAMENTOS
ABRO UMA CERVEJA, SEI QUE NÃO POSSO, BRINCO COM
O PERIGO, GOSTO ASSIM...
FAÇO A VIDA MEDIDA, PENSADA COMO TODOS QUE ESPERAM
CALAM, CONSENTEM.
O CÉU AZUL SE VAI, CHEGA A TARDE
O MAR SE ACALMA, MEU CORAÇÃO DE LOUCA SE DESESPERA
ME PERCO NOS PENSAMENTOS, NA INFÂMIA QUE TORNOU-SE
MINHA VIDA.
DEITADA À LAMBIDAS, ME CANSO, ME BANHO, ME DEITO.
AOS SOLUÇOS PEÇO À MEU DEUS, SEI LÀ MAIS O QUÊ...
ME AQUIETO E DURMO, PRÁ COMEÇAR
AMANHÃ TUDO DE NOVO

DECISÃO

PAPEL JÁ CUMPRIDO DE UMA IMPORTÂNCIA ABSOLUTA
QUASE TERAPÊUTICO, FEZ REDESCOBRIR A MULHER
A MULHER QUE É, QUE SEMPRE FOI
NA DOÇURA DOS MOMENTOS VIVIDOS, NO TOQUE DAS
MÃOS E PALAVRAS...
TUDO SIMPLES SEM RODEIOS
O MAIOR PECADO FOI QUERER MAIS, ONDE O RACIOCÍNIO
E A LÓGICA NÃO PERMITIRAM
A RAZÃO TOMOU PROPORÇÃO FANTÁSTICA NO
MOMENTO QUE REALMENTE PRECISOU DELA

ACORDADA

A CHUVA LAVA
A CHUVA LEVA
VOCÊ PRÁ BEM LONGE
QUALQUER LEMBRANÇA
QUE DORME NA MENTE
MENTE CANSADA
DO AMOR QUE NÃO TEM
DO CARINHO QUE NÃO TEVE
DO CORPO ALIMENTADO
DO TEMPO ATORDOADO
PELA ESPERA
DO TIRO NO PÉ
DA HORA DO ADEUS
DO TEMPO QUE PASSOU
DO AMOR QUE NÃO SE CUMPRIU
SENTIMENTOS TROCADOS
DA LÁGRIMA DERRAMADA
DO DIA QUE PASSOU
DA MANHÃ NÃO DORMIDA
DA CAMA ARRUMADA

305

POUCAS PALAVRAS CARCOMIDAS PELO TEMPO,
OLHAR PERDIDO, SUBJUGADO CHEIO DE INTENSÕES, DILACERADO
UM BEIJO NEGADO, ESQUECIDO, MALDITO...
O CHEIRO FORTE DO CORPO CHEGA A ASSUSTAR MAS A LASCÍVIA DESVIA
O GOSTO SUFOCA, ENCHE O DESEJO SAINDO ACIMA DE TUDO MAIS FORTE
CORPO SACIADO, TRANQUILO, VAI EMBORA
SEM NADA PENSAR, DESEJANDO VOLTAR

ULTIMA IMPRESSÃO

NÃO ME OLHE ASSIM
NEM ME DIGA ESSAS COISAS
VOCÊ CANSADO E ENJOADO
EU DISPOSTA E COM FOME
VOCÊ ME OLHA ME DESPINDO
EU TE FALO COMPLETAMENTE NUA EM PALAVRAS
CONFUSA, NÃO CONSIGO SER COERENTE,
NEM AO MENOS SER CLARA
NÃO TERMINO FRASES
NEM ORGANIZO PENSAMENTOS
ESSE TORPOR EM MINHA MENTE
ME DEIXA LOUCA
E A FEBRE NÃO ME FAZ ENXERGAR, OLHOS EMBAÇADOS
MINHA CABEÇA EM RODOPIOS

REFLEXO

ATÉ ONDE IR?
NÃO SABE, IMAGINA...
À QUEM QUER ENGANAR
ELA QUE OLHA NO ESPELHO, QUEM É ESSA
MULHER? OS OLHOS E BOCA RECONHECE
MAS OS PENSAMENTOS NÃO SÃO DELA...
SEM TEMPO, SEM TEMPO PRA PENSAR...
NÃO QUER PENSAR, POIS SE PENSAR SE
ATRAPALHA, E NÃO VAI...
SE FOR SERÁ O MESMO QUE DEVE SER
OU SE FICAR NÃO SABERÁ MESMO
O QUE SERIA...?
GRITE, CHAME ACORDE ESSA MULHER
O TEMPO ESTÁ PASSANDO, E SERÁ TARDE
QUANDO PASSAR ACABARÁ E...
MAS ELA SABE O QUE QUER...?

16 DE MAIO

TENHO FOME
CORTO MEU DIA EM FATIAS,
QUE MASTIGO, ENGULO COM DOCE,
AZEDO, AMARGO, GORDUROZO E QUENTE REMENDO
SORVO MEUS MINUTOS, COM GULA
ENGANO ESSA FOME COM O VENTO,
FRIO E ÚMIDO QUE ENTRA NO MEU CORPO
MAS AINDA TENHO FOME
DEPOIS DESSE BANQUETE
FOME DE VIDA, DE AMOR, DE NORMALIDADE
DO BÁSICO, CLÁSSICO DA VIDA COMUM...

sábado, 19 de setembro de 2009

24 ABRIL

NÃO DESEJO SER A MULHER AO SEU LADO
MAS SIM A MULHER SOB VOCÊ
ONDE FIXA SEU OLHAR NO MEU
NÃO ME INTERESSO SE VEM DE CARRO OU NÃO
MUITO MENOS QUANTO GANHA...
NEM A ETIQUETA DO QUE VESTE,
PRÁ MIM QUERO-TE COMIGO NU
ENTRELAÇADO AO MEU CORPO
ENVOLTO EM LENÇÓIS...
NÃO QUERO O PARCEIRO, SÓCIO, AMADO...
MAS SIM O AMANTE, CÚMPLICE, OUSADO
VOCE É O OUTRO LADO DA VIDA
ONDE NÃO PARO PRÁ PENSAR
SIMPLESMENTE SINTO

FALSO

RUSH, RUSH, RUSH
CORRO, PENSO ANSEIO
ESQUEÇO JAMAIS,
JÁ HAVIA PREVISTO O PENSADOR
SABIAMENTE...
O QUE FAZ A TRAIÇÃO
QUE PASSA NA MENTE CANSADA
PROCURO TE ENCONTRAR
GRITO SEU NOME EM PENSAMENTOS...
SEI QUE ME OUVE
SINTO POR OUTRAS MÃOS SEU TOQUE
SEU BEIJO, APROXIMAÇÃO...
FALSO, TAL... COMO
CACO DE VIDRO EM JOALHERIA

TRAIÇÃO

INVADIU SUA VIDA E NEM SABE COMO...
NÃO TEM IDÉIA, ESGUEIROU SE POR BRECHAS
COMO UMA COBRA ENTROU, TRAIÇOEIRA...
MACULOU O QUE MAIS AMA NA VIDA... TOCOU
SABE O QUE FAZ, AONDE VAI...
RESUMOS DE UMA FAMÍLIA,
PEGOU O PONTO
O VÉRTICE...
SEGREDOS



sexta-feira, 18 de setembro de 2009

HOJE

Hoje questionando o absurdo infundado das coisas 
Situações que advertidamente passo e rechaço
E depois do desespero, de quase sucumbir, recomeço
Volto e olho pra tudo e vejo que não morri
Não saiu de mim nenhuma parte vital, que estou inteira,na medida do possível, aqueles que me entendem, mas ainda angustio-me, pois sei que nada esta em minhas mãos, a vida de maneira bem maliciosa sussurrou ao meu ouvido essa máxima
Dentro da fragilidade de minha condição humana faço e luto como um direito adquirido
E o que esta alem de minha compreensão e forças entrego às mãos de Deus...
A noite chega e o sono vai...
Mas me sinto protegida, no escuro
Sem nenhum telefone a tocar.


quarta-feira, 16 de setembro de 2009

FRÁGIL


Minha vida muda a todo instânte...
o que eu quero, quero sempre mais
dentro de uma infinidade de possíbilidades...
impossível ignorar!
Tudo vai se tornando real
impossível não acontecer!
Em um outro momento
Tudo poderia ser diferente
o medo faria mais sentido
o arriscar-se mais perigoso
os sentimentos mais delicados
e frágeis...
Muito fácil se perder,mais ainda se entregar...
minha vida muda a todo instânte...
Onde há muito a dizer e tão pouco a
escutar...

EU

Me fascina, alma inquieta...
Dor latente, pulsante de tanta crueza.
Diante do caos, nunca desiste...
A paixão mantém, a fé restaura...
Num paradoxo total,
incansável, busca em domínios alheios...
Doce e perversa, essa criança,
que vive escondida a dizer tantas tolices.
Me confunde e me orgulha, querendo sem pretensão
chegar ao limite, por onde passa toda exitação
assim por dentro, deslizando por entre minhas pernas...
Comendo a cada palavra minha, um pedaço de mim...
Beijo na boca...
A carne tesa, trêmula,
De pensamentos inconfessáveis.






ERRATA

Pensamentos vidrados nas escolhas...
Selados e mudos de tanta descrença.
O gosto é sempre uma ameaça
contra aquilo que não devo.
Pecado é uma delícia, me esmero.
Diga uma cor, que me visto.
Fantasias sempre prontas ...
As cenas estão perfeitas, sem nenhum ensaio.
Olho para o lugar onde busquei aquele estranho gosto da dúvida
e hoje tenho certeza de tudo isso aos poucos, mesmo que ainda desse jeito,
não faça renascer nada perfeito, mas é para frente o atalho,
Disso não esqueço.
O correto é ceder, e atravessar as dúvidas e medos.
O correto é mancar, falhar...
O correto é sentir...
Sempre!



ESQUECIDOS

ESPERANDO TE ESQUECER...
ENTRE UM CIGARRO E OUTRO, UM CAFÉ AMARGO,
NOITES MAL DORMIDAS, ASSOMBRADAS POR VOCÊ
VAZIO ACUMULADO,  NÃO HÁ ESPAÇO...
SEM SENTIDO, SOMENTE O OCO DE DENTRO

TRADUZIR-SE

IN HOLE


HOJE, AO ACORDAR...
SENTI O QUE ESTAVA AUSENTE
LADEANDO PALAVRAS E  SOLUÇOS
DESCONSOLADO PERCEBI SOZINHO
NO BORRÃO DE TINTA PRETA, IMPOSSÍVEL
DE LIMPAR SEM DEIXAR MANCHA...
JOGO AS PALAVRAS, COMO UM ARRANJO
PORQUE ACREDITO NA BELEZA DISPLICENTE 
E ELAS TOMAM FORMA POR VONTADE PRÓPRIA E DIZEM
O QUE QUERO SEM MESMO PERCEBER,
COMO UM RECEBEDOR, QUE COLOCANDO ALEATÓRIAMENTE
IDÉIAS , VÃO TOMANDO FORMA, COR E MOVIMENTO     
momento meu sem tempo definido, espaço meu ,sem paredes ou conceitos onde digo o que quero mesmo a quem não quer ouvir pois essa sou eu mesma a quem às vezes não quero ouvir

APRECIADORES

TENTANDO DESCOBRIR...

Minha foto
NA DUALIDADE DE MINHA ALMA ANDO CONFUSA...