domingo, 31 de janeiro de 2010

AINDA NÃO SEI



"Now I've said this
I already feel stronger
I can't keep waiting for you
Any longer
I need you now
Not someday
When I'm ready
Come down on the road
Come down on the road"

muito do que sinto...

segunda-feira, 25 de janeiro de 2010

Passei toda a noite, sem dormir...

Passei toda a noite, sem dormir, vendo, sem espaço, a figura dela,
E vendo-a sempre de maneiras diferentes do que a encontro a ela.
Faço pensamentos com a recordação do que ela é quando me fala,
E em cada pensamento ela varia de acordo com a sua semelhança.
Amar é pensar. E eu quase que me esqueço de sentir só de pensar nela.
Não sei bem o que quero, mesmo dela, e eu não penso senão nela.
Tenho uma grande distracção animada.Quando desejo encontrá-la
Quase que prefiro não a encontrar,Para não ter que a deixar depois.
Não sei bem o que quero, nem quero saber o que quero.
Quero só Pensar nela.
Não peço nada a ninguém, nem a ela, senão pensar.

Alberto Caeiro

quarta-feira, 20 de janeiro de 2010

DOR II

VOCÊ CALOU MINHA BOCA E
ENGESSOU MEUS DEDOS...

MUDO

MEUS SEIOS DOEM A SUA AUSENCIA
MEUS DEDOS DESEJAM ESCREVER ALGO...
MAS MINHA COMPREENSÃO NÃO PERMITE
NEGANDO TODA E QUALQUER PALAVRA À VOCÊ

terça-feira, 19 de janeiro de 2010

PERDIDA

Olho daqui, o sol que entra pela janela
Entretanto preferia sentir o sol
Deixar de ser espectadora
Atuar, protagonizar
Areia nos pés
Pulinhos nas ondas
Adjetivar tudo, do jeito que gosto...
Enquanto tamborilo os dedos na mesa,
Sinto o cheiro da tinta escrita no papel
o mesmo que corta meu fino dedo
que sangra...
Olho daqui , o avião que corta o céu
e imagino em quantos pedacinhos seriam...
Em quantas cores meus últimos sonhos rabiscaram
o pano de fundo da vida...
Respiro o aroma verde da grama do vizinho
Contemplo a caixa de remédios, quadrada
tão enquadrada, com arestas, contra indicações
e tantas reações adversas ao meu querer
Tirei aquela amarra, dourada, feita assim para ser
mais atraente
E solta, flutuo...
Por pouco tempo
não resisto
E logo volto
À minha coadjuvância

GELADA

CASO SUA INTENSÃO ERA ARREFECER
E NÃO FOMENTAR...
PARABÉNS!!!!!!!!!!
VOCÊ É O FELIZ GANHADOR DE UMA
BELÍSSIMA GELADEIRA


segunda-feira, 11 de janeiro de 2010

BEIJO DA BOCA

TÃO BOM SEU BEIJO...
QUE BEIJA MINHA BOCA, SEU BEIJO
QUE BEIJA MEU PESCOÇO, SEU BEIJO
SEU BEIJO,QUE BEIJA MEU COLO
QUE BEIJA MINHA CICATRIZ, SEU BEIJO
QUE BEIJA MEU QUADRIL, SEU BEIJO
SEU BEIJO, QUE BEIJA MEU ÂMAGO
SEU BEIJO, QUE BEIJA...
QUERO MAIS DO SEU BEIJO...
QUE BEIJA MINHA BOCA, SEU BEIJO
QUE COBRE COM SEU BEIJO DE QUERER BEIJAR
E NÃO ME DEIXA FALAR
COM SEU BEIJO NA MINHA BOCA
QUE QUERO COM MEU BEIJO
AMAR  

sábado, 2 de janeiro de 2010

MAS, FALANDO DE VOCÊ...

Quem mais suspeitaria o que sinto por dentro?
Quem mais entenderia esse desejo pela vida às avessas...
Não sei!
Sei que tenho muito a buscar, e você nem conhece minha letra
que fica perfeita ao extravazar os sentimentos...
Não aquela arial, courier, georgia ou mesmo verdana
Traçada à mão, delineada, forte e rápida, de alguém que tem pressa
Gosto da minha letra, aliás acho que sempre gostei
marca a personalidade indefinida da dona, diz tanto... em todos os
momentos, auto-explicativa...
Traçados ora bruscos e anciosos, delícados, inclinados ou sensualmente arredondados...
Depende do momento...
Expressa o que de mim saí, e pretendo extraír muito mais 
Esse e um compromisso que firmei comigo mesma,
o qual posso me desobrigar quando e bem entender
Pois sou livre...
Encontrei resquícios de mim em você,
suplantei um pouco da minha dor
Mas não é assim, uma dor doída, que fere e sangra, mas companheira
das horas que meço a incredulidade da vida, do dia- a- dia...
Essa dor, faz -me mais rápida, enérgica, e tornou- me questionadora
dos meus hábitos
Disse adeus ao meu lado contemplativo... 
Mas se vou te encontar de novo, não sei, ficou aquele sabor na boca
de "não sei se te quero ".
Tudo isso porque você queria o impossível...
Gerir meus sentimentos, ensinar-me como deveria me expressar,
o que seria correto dizer, intuindo que nao sabia o que dizia diante
da sua encabulada e incorreta pronuncia em...
E pior, o meu sabor mais divíno, lapidar o que escrevia...
Quando escrevo, meus pés saem do chão, minhas correntes ficam
leves, não peço permissão, muito menos desculpas...
Nao sou absolutamente sincera, ou mesmo realista...
mas quem se importa...
Porque a verdade fica só para mim, como os anos (dez na realidade!) que nos separam...
adoro verdades maquiadas, recorda-se?
Acho que não! 
Consequências são próprios à quem escreve, de mais ninguém...
Escrevendo posso surtar, ser doce, apaixonada, obscena, displicente,
infantil, dramática, até inteligente...
Sou tudo isso e muito mais, escrevendo vou descobrindo
ou encobrindo minha realidade, e você...
Ainda acha que me conhece?





momento meu sem tempo definido, espaço meu ,sem paredes ou conceitos onde digo o que quero mesmo a quem não quer ouvir pois essa sou eu mesma a quem às vezes não quero ouvir

APRECIADORES

TENTANDO DESCOBRIR...

Minha foto
NA DUALIDADE DE MINHA ALMA ANDO CONFUSA...