quarta-feira, 28 de abril de 2010

AUDÁCIA

Minhas palavras são toscas, desalinhadas, sem enfeite....
Não há renda, são à mão, laçadas cruas...
Mania de descoisificar sensações
São palavras engatinhantes, arrastadas ao menor movimento da lembrança,
Sejam translucidas ou totalmente opacas...
Aliás, ousadia pura ousadia deixar-me ver através delas...
Pois são selvagens e indomáveis à minha mediocridade...
Não às tenho, faço uso arbitrário...
Quanta audácia, que pachorra...

terça-feira, 27 de abril de 2010

PERDÃO

Talvez um dia, Deus tenha compaixão de mim.
Pequei porque desejei o almoço do vizinho,
o cheiro de tinta fresca do apartamento acima,
a pele bem cuidada da desconhecida.
Pequei porque omiti verdades, usei da calúnia,
me esbanjei da lascivia e fiz uso incondicional da traíção da alma
Pequei porque questionei inúmeras vezes se havia alguém calçando
meus passos e afugentando meus sonhos
Pequei porque sou pequena em forma e sentimento,
na imensidão de gente como a gente que necessita muito mais do que eu.
Pequei porque sou egoísta, indomável, voluntariosa e muitas, muitas vezes
insuportável até ao meu reflexo.
Pequei porque desejei os pecados da carne e da gula,
fartando-me cama e mesa
Pequei por falta, de paciência,com menores e com desprovidos de idéias
Pequei em pensamento, com caneta na mão, por ter muitas vezes piedade de mim
Pequei por não ser a filha maravilhosa, mãe extremosa, e esposa dedicada
que mais que meus instinto, meu eu não permitia
E agora continuo pecando, por acreditar indiscutivelmente que Deus um dia,
dentro da Sua Magnitude deverá me perdoar.
 

segunda-feira, 19 de abril de 2010

Quando?

O quê posso fazer ante o esquecimento?
Pois é você quem rouba-me a esperança...
Declino a sua miníma lembrança daquilo que me é total verdade
Por onde anda?
E encontra-se ainda marcado pela minha sombra?
Meus dias, não são contados pelas horas, mas pela falta
Aí pergunta-me, se ouso estar apaixonada por ti...
Claro que não, respondo
Mas o que seria de mim sem essa deliberada orgia de pensamentos
Uma mulher apaixonada pelas sensações do quando...

     

domingo, 18 de abril de 2010

livre

                                                E por onde anda o céu para eu poder voar?

sentidos

Não, não se apresse...
o café já posto à mesa,
mas tudo a seu tempo
Incrível, mas as palavras falam,
jogam e advertem
Tudo quieto agora, dentro
observo-o mexendo a colher, compassado e distânte...
Nada mais sentido, dias, referências
Açúcar para adoçar, dia começando
O cheiro da manhã, invade meus pensamentos
Mais um dia ou menos um dia
Catarse
Mas a pergunta fica,
 o quê ainda nos justificaria?
Minha insistência talvez...
A fome
Pequenos detalhes presos a mim

sábado, 17 de abril de 2010

Singela diferença

Lá fora, de mim...por onde permeia minhas inquietudes
Faz-se mais tranquilo, cá dentro
Preciso lembrar, o que desfez-se
Alcançando longas asas
Com partida inexata
Destino em cores
Falta só pular
E parar de mentir em minha cama...

quinta-feira, 15 de abril de 2010

mimo

                  Queria algo bem doce e quente, para repartir...poderia começar com as palavras

VOCÊ EM MIM

Enlaça-me
Encobre-me
Farta-me
Fluidifica-me
Esqueça-me

terça-feira, 13 de abril de 2010

SER

Qual necessidade há em definir?colocar rótulos, classificar...pequeno demais seria enquadrar-se ...
vulgar demais ser multidão...mesmo sendo muitas Apenas sou.
O quê ou quem, ainda em construção!

ACORDANDO

Nesse canto ainda há, detalhes olhares...Do nada que existiu, os beijos da boca que calou Passa do acordar morno à  febre dos sentidos, transformando uma quinta na semana...Não canso-me de lembrar que adoro gerúndio...

segunda-feira, 12 de abril de 2010

PUNGÊNCIA

Solidão, um ser hiato
totalmente ligado em ser hipérbole,
assombrado pela dissonância da sua existência
tanta saudade sente de um passado fresco, cheirando a novo...

sexta-feira, 2 de abril de 2010

traição

A tristeza da melodia, tão representada em uma figura unica, complexa, que deixa para traz, atraz de qualquer sentimento, da dor, material ou não...
Será, obstante da verdade indefinida, as letras saltam pra fora do caderninho tímido...
Frustrante quanto esconder-se dentro de uma caixa de vidro
desculpe, desculpe
Não quero te machucar com as dores que não são suas...
Inevitável...

quinta-feira, 1 de abril de 2010

Inversão total de papéis

olá chapeuzinho...


Hoje preciso revelar algo, não faço ideia como receberá tal notícia,...
Não sou o que pensa!
Sei que por vezes sentou-se em meu colo, em troca somente de afagos despretenciosos, os olhos grandes e gulosos nao eram apenas de preocupação por me mostar seus sentimentos ou pelas guloseimas a mim oferecidas, minhas orelhas aguçadas não eram para ouvir seu medo, segredos ou preocupaçõs que surgiam em sua consciência, mas os sussurros que queria arrancar eram outros, por fim meus dentes são imensos pois sou louco para te devorar no melhor(ou pior) dos sentidos...
Querida, não só me olhe, enxergue-me, não sou o que pensa... inocente que pareço para ti, mas um lobo devorador, faminto; vestido, disfarçado com uma unica finalidade... ter você, talvez sempre soubesse ...
mas percebendo suas verdadeiras intenções, e sua predisposição em acreditar, sinto-me impelido a te descascar a verdade, pois meu eu é mal, voraz e cheio de más intensõs e louco para te fazer sofrer
então chapeuzinho, resta-lhe a ultima noticia e talvez o mais fatal segredo, não conte para ninguém
Te amo...

Lobo Mau

hoje

só por hoje não queria ser o eu do hoje, queria ser o eu do amanhã ou o eu do ontem
no eu do ontem sonhava o amanhã que é hoje, o eu do amanhã é esperança, muda incognita
talvez ser o eu do ontem ou o eu do amanhã não resolva o hoje, sei disso...
mas bem provável a imaginação admita algo que não aconteça no hoje projeta para o passado
e para o futuro o que o hoje presente, não sonhou...
momento meu sem tempo definido, espaço meu ,sem paredes ou conceitos onde digo o que quero mesmo a quem não quer ouvir pois essa sou eu mesma a quem às vezes não quero ouvir

APRECIADORES

TENTANDO DESCOBRIR...

Minha foto
NA DUALIDADE DE MINHA ALMA ANDO CONFUSA...