quinta-feira, 30 de setembro de 2010

quando não há mais sensações...

Não consigo mais falar dos amores, das dores...
Da dor, talvez porque não queira,
Do amor, porque não há mais nada a ser dito.

quando o dia não acaba...

"(...)Acordou de um pesadelo, desses dias nocivos de consulta agendada...
Perambulou totalmente desnorteada pelos cantos onde andou, murmurava palavras
desconexas, ela não estava ali.
O dia se arrastou, até que entrou naquela sala pequena e seu algoz-salvador perguntou-lhe:
-Suzana!Estive a olhar todo esse tempo o obituário para saber de você!
Sumiu! (...)''

quarta-feira, 29 de setembro de 2010

Despertando


"-Viva, viva, viva..cada segundo!
Foi um sussurro, quase inaudível,de uma figura desconhecida...
Assim ela acordou, num sobressalto, sem entender ao certo se foi
um conselho ou um aviso..."

terça-feira, 28 de setembro de 2010

À Preencher

Encontro-me totalmente perdida em mim, há tanto espaço, e o que me prende ?
Uma linha fatal, débil em sua natureza imperfeita...

quinta-feira, 23 de setembro de 2010

Redundâncias

“Se me obrigassem a dizer porque o amava, sinto que a minha única resposta seria:
Porque era ele, Porque era eu.”



quarta-feira, 22 de setembro de 2010

Todos Temos Duas Almas


"Costumo dizer que há duas em mim...Ter como certo a ambiguidade dos sentimentos envoltos em um só ser, estar-se certo da existência num mundo  prolixo, torna as decisões mais claras e acertivas na morada das minhas almas..."  

Cada criatura humana traz duas almas consigo: uma que olha de dentro para fora, outra que olha de fora para dentro... Espantem-se à vontade, podem ficar de boca aberta, dar de ombros, tudo; não admito réplica. Se me replicarem, acabo o charuto e vou dormir. A alma exterior pode ser um espírito, um fluido, um homem, muitos homens, um objeto, uma operação. Há casos, por exemplo, em que um simples botão de camisa é a alma exterior de uma pessoa; - e assim também a polca, o voltarete, um livro, uma máquina, um par de botas, uma cavatina, um tambor, etc. Está claro que o ofício dessa segunda alma é transmitir a vida, como a primeira; as duas completam o homem, que é, metafisicamente falando, uma laranja. Quem perde uma das metades, perde naturalmente metade da existência; e casos há, não raros, em que a perda da alma exterior implica a da existência inteira. (...) Agora, é preciso saber que a alma exterior não é sempre a mesma...

sábado, 18 de setembro de 2010

Feliz e incompleta, sempre há espaço para ser mais que sou

Por que devo me preocupar?
Não obstante dos dias e noites in-perfeitos...
Meu sol, nasce a cada segundo que preciso dele

Drive

"...encontra quase um sinal...porque para todas as perguntas já tem uma única resposta..."

Who's gonna tell you when It's too late?
Who's gonna tell you things Aren't so great?
You can't go on Thinking nothing's wrong
Who's gonna drive you home tonight ?
Who's gonna pick you up When you fall ?
Who's gonna hang it up When you call?
Who's gonna pay attention To your dreams?
Who's gonna plug their ears When you scream?
You can't go on Thinking nothing's wrong
Who's gonna drive you home tonight?
Who's gonna hold you down When you shake
Who's gonna come around When you break ?
You can't go on Thinking nothing's wrong
Who's gonna drive you home tonight?

quinta-feira, 16 de setembro de 2010

Feliz aniversário

             Olhando o calendário passado...lembra-se,
             Anotado em círculos vermelhos
             Os encontros e pensamentos...                   
             Vai em busca dos escritos...
             Rabiscos          
             Todos para ele,
             Para ninguém...
             Mas foda-se, com ele aprendeu...
             Enxergou e viu-se,
             Sentiu e gozou,
             Viveu e morreu em seus braços...





segunda-feira, 13 de setembro de 2010

Retórica Homeopática

                                                             Cada gota sua em mim , um oceano...

segunda-feira, 6 de setembro de 2010

Warning

"... e o que me faz feliz hoje, te fará chorar amanhã, prenuncio do jogo à quem tirar a carta azul tempestade, porque daqui decido, olhando para esse mar calmo e frio, que combina minha aspereza e petulância, deixa vir à tona, desmascara a verdade que anuncio sem pudor, em altos brados que sou incapaz, incapaz de amar"

quarta-feira, 1 de setembro de 2010

Por onde anda a inquietude da alma

"...pensamento conciso, em reconhecimento próprio, palavras enxutas, maestradas pela sensibilidade..."  

O meu mundo não é como o dos outros, quero demais, exijo demais; há em mim uma sede de infinito, uma angústia constante que eu nem mesma compreendo, pois estou longe de ser uma pessoa; sou antes uma exaltada, com uma alma intensa, violenta, atormentada, uma alma que não se sente bem onde está, que tem saudade… sei lá de quê!
momento meu sem tempo definido, espaço meu ,sem paredes ou conceitos onde digo o que quero mesmo a quem não quer ouvir pois essa sou eu mesma a quem às vezes não quero ouvir

APRECIADORES

TENTANDO DESCOBRIR...

Minha foto
NA DUALIDADE DE MINHA ALMA ANDO CONFUSA...