domingo, 24 de outubro de 2010

Um fim temporário ou perpétuo

" O nome limpo vale mais do que o perfume mais caro; e o dia da morte é melhor que o dia do nascimento.
(...)O fim de uma coisa vale mais do que o seu começo(...)"

terça-feira, 19 de outubro de 2010

Um eterno pacto de almas em desencontro

"Proximidade, a cumplicidade não tem rosto definido, nem cheiro...por vezes um eterno encontro, é às cegas, distânte, sem toque, nem palavras com sabor de hálito, ou dois copos sobre a mesa, nem por isso é menos doce e profundo...
Deixei as explicações, as respostas... meu mundo faz-se das perguntas que não cala meu coração"  


surgiste repente como um breve estalo
trazias no bolso a mesma dor que eu sentia por uma pessoa querida
e me reconheci ali onde cultivavas sua mais perfeita ferida

neste espelhar de angústias fez-se um tímido apego
vontade crescente de ser-te alívio em choroso riso
e me ver livre desta tola insignificância de nunca ter ido ao paraíso

conversar contigo é brisa que me alivias de mim
derramo em ti a emoção que não eu soube como transbordar
e assim tornou-se abrigo onde exilo meu cotidiano pesar

tento conter os excessos e não atrair um tal anunciado adeus
nem sempre consigo domar o que não quero sentir
instinto voraz de quem a própria essência tenta reprimir

a delicadeza com que me percebes e me acatas é tocante
sinto seu mais leve cuidado em não machucar meu encanto
dom de quem sabes como curar o mais impiedoso pranto

não sabes que ao mostrar-se frágil tens à face da alma a alumiar-se
receias que eu a veja com olhos dos seus tolos julgamentos
oculto temor do abandono, gosto amargo de outros tempos

me entristeço ao ver que como ages torna-se incompreendida
de um mundo que não sabe ver a súplica oculta num gesto de dor
de uma mulher que busca desesperadamente o encontro com o amor...

sábado, 16 de outubro de 2010

Quando me apaixono...

"Repentinamente, sentimos como se ficasse visível a todos a emoção, a promessa que um pensamento nos trouxe.A batida rápida do coração, o pulso acelerado e o frio no estômago, o conforto sensual da lembrança contida no milésimo de segundo entre o pensamento e a emoção. A viagem imaginária, mas não menos vívida, a lugares que só acontece quando nos apaixonamos. Nos é permitido sentir esta emoção sem culpas, sem embaraço sem explicações. Esta emoção única, descrita pelos mais diversos poetas e escritores, não encontra unanimidade para seu significado. Um olhar, uma foto, um perfume ou um gesto torna mais que suficiente, abastece os terminais nervosos que controlam a paixão, não a paixão atormentada, sofrida, mas a paixão paixonite, luxuriosa, sensual, rápida, delíciosa, intrigante, cheia de promessas que não serão cumpridas pois o objeto do seu desejo não sabe que por um breve momento você se apaixonou..."

quinta-feira, 14 de outubro de 2010

Tenho dias que sinto-me um veneno

terça-feira, 12 de outubro de 2010

Ao longe, intocável

"Tenho longas asas, robustas, aparentemente fortes...
Alço longos voos, alcanço alturas incalculáveis
Voo alto, sinto longe...
Permito apaixonar-me pelo caminho
Vejo todos à distância , pequenos , frágeis...
Vê-los, acalenta cada momento, entrego-me...eu posso
Estou de passagem, não quero ser vista nem percebida."

sexta-feira, 8 de outubro de 2010

fato

Hoje fez-se noite em meu coração, o amor calou-me

quinta-feira, 7 de outubro de 2010

aos seres inferiores, a verdade

Óbvia inabilidade de lidar com um ser tão complexo e superior,
que à mim parece compreensível, àquilo que de longe os supera.

quarta-feira, 6 de outubro de 2010

Escrever-te em mim



"Escreve-se para preencher vazios, para fazer separações contra a realidade, contra as circunstâncias"  Mario Vargas Llosa


Não somente escrever com as entranhas, é servir o coração em pompas e circunstâncias...
Não à quem, mas ao quando...
Escolher palavras, nem sempre as mais belas...mas as que vem com a cor da minha alma...
E do que falamos?
De você, de mim...
Do meu avesso remendado...
Dos sonhos afogados no teu peito...
Fatias do que amanheceu em você e morreu em mim...
Celebro todos os dias você em mim...
Escrevendo.

terça-feira, 5 de outubro de 2010

ÂNSIA

"341, dias sem você...
Foi tudo pequeno, como brisa?
Assim como disse-me?
Um arrepio na pele, uma sensação?
Dizem que as perguntas movem o mundo..."
Mas tudo o que ela pensa e registra é uma ode ao amor...
Com esses pensamentos, incrustados, como uma música que volta sempre
a cantarolar, mesmo que não queira, ela sente, dorme, acorda ...refaz as contas para ter certeza
da distância dos dias, horas e minutos...mas cada respiração,olhar... ditos e proferidos a assombram
dias desses...dias desses de sol, de chuva, de amor e esquecimento.
momento meu sem tempo definido, espaço meu ,sem paredes ou conceitos onde digo o que quero mesmo a quem não quer ouvir pois essa sou eu mesma a quem às vezes não quero ouvir

APRECIADORES

TENTANDO DESCOBRIR...

Minha foto
NA DUALIDADE DE MINHA ALMA ANDO CONFUSA...