terça-feira, 30 de novembro de 2010

[ ]

Consigo calcular totalmente área e volume do vazio...

segunda-feira, 29 de novembro de 2010

Prefiro Cristalizar

Mais  um dia terminando, brisa de fim de tarde...
Saudades de fim de tarde
Amantes despedem-se
Você acaba em mim...
Fragmentos
Traços do cheiro e rosto perderam-se
entre esperas e desencontros...
Mas e quanto àquele que nunca vi?
Todos tornam-se algo...
Uma virgula, um texto, uma frase...
Assim vou criando outro jeito de encontra-lo
Ou nunca esquece-lo
O traçado, a letra, a música que nos embalou...
Químeras que quase viraram amanhã...
Mas prefiri cristaliza-las
Assim serão eternas   

sábado, 27 de novembro de 2010

WHEN I FALL, YOU'RE NOT THERE...

sexta-feira, 26 de novembro de 2010

Versos Íntimos

"TALVEZ A VOCÊ NÃO FAÇA NENHUM SENTIDO, MAS A MIM, QUE VIVO CADA METRO CÚBICO DOS MEUS DELÍRIOS, VEJO BELEZA ATÉ NAS PEDRAS... DO MEU CAMINHO"



Vês?! Ninguém assistiu ao formidável
Enterro de tua última quimera.
Somente a Ingratidão - esta pantera -
Foi tua companheira inseparável!

Acostuma-te a lama que te espera!
O Homem que, nesta terra miserável,
Mora entre feras, sente inevitável
Necessidade de também ser fera

Toma um fósforo, acende teu cigarro!
O beijo, amigo, é a véspera do escarro.
A mão que afaga é a mesma que apedreja.

Se a alguém causa ainda pena a tua chaga
Apedreja essa mão vil que te afaga.
Escarra nessa boca de que beija!

quinta-feira, 25 de novembro de 2010

por onde andei ?


É como se nada tivesse acontecido
Como se eu não estivesse estado lá
Nem você em mim...
Sabe, os anos que nos separaram?
Caminhando pelas mesmas ruas e nunca
nos encontrando, então sonhei?
Nem eu em você...
Menos que uma brisa, menos que um sonho
é como um acordar, luxuriante, com a cabeça sonza de doses a mais
Por favor, onde estivemos? Ouça meu apelo e diga que foi real...
Acordei no meio da noite, e você nunca esteve alí
E as metades que separei para repartir com você?
o que faço com elas?
A sua voz eu ouvi, ou são ecos que do que passou?
Foi um delírio de máxima exposição ao sol, em dias de novembro?
Sumimos ou nunca existimos ?
Mas e agora?
E o amor que senti e não te contei?

quarta-feira, 24 de novembro de 2010

Afinal, quem tem coragem realmente prá viver um grande amor?

FATO

"Há duas palavras que não se podem usar: uma é sempre, outra é nunca."

terça-feira, 23 de novembro de 2010

FUJA, FUJA

Hoje vou embora mais cedo, me esperam em casa...
Chego, olho o vazio, cheio, mas vazio...
Escuto, mas não ouço
Procuro nas gavetas por entre milhares de coisas e nada acho..vazio
Bato em portas, estão mudas ninguém responde...
Olho o espelho, embaçado...
Passo meu perfume preferido, sem cheiro
Minha droga para dormir, já não tem a mesma cor
Água quente do banho não tem vapor...
Bati na porta errada?
Sempre batendo em portas erradas...porque me permito
por quem me permito
O quê vale a dor pela dor
Erro os caminhos, mas meu dragão me espera
Sabe que vou voltar
Sabe que vou abrir a porta correta

  

DE REPENTE, SOZINHA

Já me disseram:"Quem tem muitos, não tem nenhum..."

segunda-feira, 22 de novembro de 2010

NUNCA SEM VOCÊ

Meu céu nublou, talvez não consiga mesmo viver sem você!
Passo momento em delírios, acredito na fantasia, meu corpo
exulta, toma cores e contornos nunca antes visto...
Isso dura mais do que deveria, mas o suficiente para destelhar
sonhos, derrubar alícerces, propagar o caos...
Fica tudo fora de ordem...
E eu lá...no cantinho tremendo, assustada com a bagunça que fiz
brincando de ser Éolo...
Aí vem você, arruma tudo, põe cada copo sujo de vertígem no
lugar, segura minha mão, e quando me levanta, já sou a mulher
que sou, de novo...   

sábado, 20 de novembro de 2010

1:100.000

A única certeza que conheço nesse momento, é que respiro.Estou viva, agora...

quarta-feira, 17 de novembro de 2010

Esquecer leva algum tempo

Abandonou corpo e alma....
O que jurou-se amor, por hoje palavras vazias a ausência do seu verbo,
As marcas na pele, ainda estão lá...visíveis!
Mas meu coração, esse ainda busca...
Sei... aprendi, que nada pode me tocar tão fundo...
Minhas dores são intensas, sofrimento degustado até o ultimo gole...
Preciso de dias...só isso !
De dias...

domingo, 14 de novembro de 2010

medo e dor

Sou como bicho acuado, quanto mais dor, mais ferido,
Mais me afasto, quando mais preciso 

quinta-feira, 11 de novembro de 2010

quem sabe , o amor...

As manhãs podem ser doces, posso olhar-te com carinho...
Revê-lo de tempos em tempos...
Com uma lacuna que fez toda a diferença, de onde estava você...
Onde estava eu...
Num total erro ortográfico e num total acerto de tempo verbal.

quarta-feira, 10 de novembro de 2010

Ei, eu te amo...

Como é gostoso um começo...
A primeira mordida do bolo, o primeiro gole de vinho...
Sentir o gosto do primeiro beijo, o que sempre é uma surpresa...
Gosto de bala, chiclet, cigarro misturado com cerveja ou gosto de desejo...
O primeiro toque, as descobertas dos defeitos desconhecidos...achamos graça!
E´tão bom descobrir e ser descoberto, melhor ainda descobrirmos juntos, olharmos
para a mesma direção, mas de um jeito diferente...Àquele jeito, quando olhamos uma
obra-prima, e cada qual vislumbra um detalhe, completando-se...
Tudo isso para mim é começo, cheiro de tinta fresca, novos horizontes, de promessas, às vezes não cumpridas...mas de sonhar!
E dizer baixinho no ouvido do outro pela manhã :
-Ei, eu te amo...

segunda-feira, 8 de novembro de 2010

Eu não posso te chorar, afinal não sei amar...

AMOR ADOLESCENTE

Um veneno instalou-se em suas entranhas,
Mas o sabor era doce...
A principio recusou, ponderou...
Mas o Mal nem sempre mostra sua verdadeira face, faz apaixonar-se
Sedutor
Tal qual uma adolescente com seu primeiro amor, rende-se
Experimentou todo colorido que a aquarela poderia lhe oferecer, sorveu cada olhar que lhe foi oferecido, esteve ali, de corpo e alma verdadeiramente feliz...
Agora sofre, chora, rasga-lhe a carne, lava o suor de uma noite de amor
Joga fora todas as lembranças junto com as lingeries usadas nos momentos íntimos
A dor ainda marca seu rosto, com veios de sal que são fiéis testemunhas das lágrimas que por ali
passaram...
Talvez não esteja preparada para essa pseudo-felicidade que lhe foi oferecida, não nasceu para
isso...
Regozija-se com os momentos, compadece como adeus, confraterniza com a saudade, e anda de mãos dadas com a melancolia...sente-se em casa assim...
Mais uma vez sente e sabe que não pode ser metade, querer metade, pois mesmo sendo duas, são duas inteiras, buscando e exigindo caminhos e pessoas inteiras.
momento meu sem tempo definido, espaço meu ,sem paredes ou conceitos onde digo o que quero mesmo a quem não quer ouvir pois essa sou eu mesma a quem às vezes não quero ouvir

APRECIADORES

TENTANDO DESCOBRIR...

Minha foto
NA DUALIDADE DE MINHA ALMA ANDO CONFUSA...