sexta-feira, 2 de dezembro de 2011

Alma luz, para buscar meu caminho...

Junto com aquela caixa, devolvi minha alma, meu céu azul, meu sol!
Minha esperança!
Mas os dias virão e irão junto com as noites e nos sonhos dormidos te encontrarei vez ou outra
Mas não quero mais te escrever nem te registrar, a caixa foi um símbolo disso...
E esse espaço que separei para aquela minha alma fogo, já não faz mais sentido, pois hoje m despeço sendo alma luz...

quinta-feira, 1 de dezembro de 2011

Enfim, a tão esperada despedida daquilo que nunca existiu...

Espero honestamente que tenha o prazer de conhecer o amor na forma que ela conheceu!
Um amor doação, voltado a satisfazer e desejar somente o bem estar do outro.
Um amor não programado pela vaidade de ter alguem, ou pelo sabor da conquista!
Que a cada encontro, a cada beijo, a distancia rasgava-lhe a alma...
Algo não carnal, mas quando fazia-se carne era tão forte e intenso que queria ser ela em você
Algo tão absolutamente sublime e tão grande que não se pode guardar, nem esconder...tem que repartir!
Mas você vai sim realmente ser muito feliz, vai poder escolher! Alguém sem familia, sem encargos e historia de vida, alguém diferente dela...
Aí apenas terá alguém para repartir a sua história.
Pode ter certeza que estará sempre nas orações diárias dela, como nunca deixou de estar.

segunda-feira, 28 de novembro de 2011

Deus me abençoe

Logo as lembranças se apagaram...
Junto com as sensações envelhecidas pelo novo que chegará
O novo sempre mais leve, te levará embora para sempre...
Como o cheiro que a memória vai guardando até que só sente quem ainda quer lembrar
Deus abençoe quem quer sair e não ferir
Deus abençoe a mim
Deus abençoe o amor que sinto
Deus abençoe a ele
Que sejamos felizes

sexta-feira, 21 de outubro de 2011

Vazia

Vazia, sem o ter, sem ter o que...
Dar, para quem, para quem me doaria?

quarta-feira, 12 de outubro de 2011

Simples assim...

Que nunca deixemos de nos morder
de nos enrolar
de beijinhos e abraços
de briguinhas resolvidas
de gargalhadas ao almoço
de bronquinhas para mostrar a direção
de suspiros aos ouvidos
de cultivar o que queremos
de olharmos nos olhos
de caminhar de mãos dadas
de amar o avesso...
de me ver sempre menina
de se ver sempre menino
de reconhecermos o amor... 
Porque, deixar de amar!
Ahhhh, impossivel...

segunda-feira, 10 de outubro de 2011

Que tal aquela angustia lancinante, que toma conta,  mesmo pondo dentro do bolso, engolindo à seco... Levando sem propofol... 
Que graça teria a vida!!!!!!!!!!

segunda-feira, 3 de outubro de 2011

CASA PARA COLORIR


I CASA

Meu castelo de areia, com direito a muito sol e um falso mar, mais tarde verdadeiro pela salinidade das lágrimas...

II CASA

Onde cantam os passarinhos, que cheiro bom!!!De gente feliz...

III CASA

Por onde anda aquelas pessoas?

IV CASA

...

quinta-feira, 29 de setembro de 2011

A DOR ME ASSUSTA
DORME DOR DORME

sexta-feira, 16 de setembro de 2011

Quando baixo a guarda, o perigo pula por entre meus abraços...

domingo, 11 de setembro de 2011

Não Sei se Isto é Amor

"Quem sabe o presságio do autor remeta-me ao codinome que eu tanto queria, ouvir-te"




Não sei se isto é amor. Procuro o teu olhar,
Se alguma dor me fere, em busca de um abrigo;
E apesar disso, crê! nunca pensei num lar
Onde fosses feliz, e eu feliz contigo.
Por ti nunca chorei nenhum ideal desfeito.
E nunca te escrevi nenhuns versos românticos.
Nem depois de acordar te procurei no leito
Como a esposa sensual do Cântico dos cânticos.
Se é amar-te não sei. Não sei se te idealizo
A tua cor sadia, o teu sorriso terno...
Mas sinto-me sorrir de ver esse sorriso
Que me penetra bem, como este sol de Inverno.
Passo contigo a tarde e sempre sem receio
Da luz crepuscular, que enerva, que provoca.
Eu não demoro a olhar na curva do teu seio
Nem me lembrei jamais de te beijar na boca.
Eu não sei se é amor. Será talvez começo...
Eu não sei que mudança a minha alma pressente...
Amor não sei se o é, mas sei que te estremeço,
Que adoecia talvez de te saber doente.

domingo, 14 de agosto de 2011

VOCÊ + EU

Lamento por mim,
Lamento por ti...
Por tantos planos...
E nenhuma coragem!!!
Muitos sonhos
E mais ainda despertares...
Por algumas lágrimas
E muitos sorrisos...
O quê nos fez amantes do impossível...
Tão obvio
De duvidar!!!!
Ninguém acreditaria
Nem eu
Nem você!!!!!

segunda-feira, 8 de agosto de 2011

Mundo prolixo



Construo minhas verdades baseadas nas verdades e mentiras que o mundo me apresenta...

segunda-feira, 18 de julho de 2011

Versinho tolo



Como posso pedir prá ficar?
Amor fica amor...
Cria raízes em mim...
Deixo-te voar ...mas promete voltar?
Mas não, não posso te pedir prá ficar!
Sejamos livres, com vontade de ficar...
Não diga nada, apenas venha me buscar...
Te espero, sem promessas, prá caminhar ao teu
lado, sentir-me voar...
Dedos entrelaçados, passos em compasso...
Igual àquele dia, meia quadra a caminhar...
Tomei uma ou duas, foi o tempo à passar...
Tomei meu caminho, você o seu...
Mas no meu tempo, ainda estamos à caminhar...
De dedos entrelaçados e passos aos compassos ...

quarta-feira, 22 de junho de 2011

Quero

Quero amar!!!!!
Mas quero que me amem também...
Quero gritar!!!!!!
Mas quero que me gritem também
Quero ganhar !!!!!
Mas alguém tem que perder...
Quero voar!!!!!
Mas deixo que me prendam...

terça-feira, 7 de junho de 2011

Entre, a casa é sua!!!!!

Unicamente porque permitimos...
Esta é a resposta para todas as perguntas que calam no céu da nossa boca e no terror absoluto de todos os mais funestos questionamentos...

sexta-feira, 6 de maio de 2011



POR QUE INSISTE EM MORRER EM MIM...?

amargo delírio

Hoje queria ser doce...
Com você...
Queria que me segurasse pela cintura, me abraçasse as costas
sentisse meu rosto...
Olhasse além da minha pele, penetrasse meus musculos e ossos
segurasse minha mão e levasse-me passear por entre seu mundo
do meu estou cansada

quinta-feira, 28 de abril de 2011

SER E NÃO SER...

Como a percepção é cruel...
O que seria pior?
Ser a criatura mais tola, já conhecida?
Ou fazer-se passar por ela?

terça-feira, 26 de abril de 2011

O estado que encontro-me

Estou meio morta , meio viva...
Ainda não decidi...

sexta-feira, 1 de abril de 2011

SENSAÇÃO

Sonhei feito menina, com cores fuzilantes e sustos ao acordar...
Acordando, não encontrei o aconchego de minha cama quente e segura.
Estava sem chão, não tinha endereço nem teto.
Quis intuitivamente voltar para o sonho, corri...
Voltei as costas ao medo, mas fechou-se atras de mim, sem ao menos
Poder tentar outra vez.
Desejava, sim desejava a SENSAÇÃO de caminhar em nuvens opulentas de puro
Algodão rosa punk
Mais adiante havia um grande espelho, nele o reflexo era acompanhado, alem
De ter uma bela moldura, de puro cristal, refletia meu íntimo, meus delírios
E repito, não vinha sozinho estava-se sempre acompanhado...
A esquerda,um labirinto em forma de escadas, que não chegavam a lugar algum,
Dando voltas e voltas...tão gratificante porque tinha a nobre SENSAÇÃO de nunca
escolher o caminho errado e sempre com a vantagem de poder recomeçar sempre do "começo"...
Mais alem, isolado e solenemente imponente em meio a relva azul, via-se um belo Cedro...
Alto, robusto, viril, sentia-me impelida a abraça-lo, pois a tal arvore generosa
Metia-me a SENSAÇÃO de confiança e segurança ...
A sua sombra sentava-me, lia, enamorava-me no aniz solar e quando calhava a vontade
abraçava-me a ele...
Entretanto quando adormeci, ao acordar havia desaparecido o Cedro...
Ia refrescar-me no lago cor alcaçuz, nele via meu relexo envelhecido, pois já permanecia
a algum tempo naquele lugar ...
Podia também assistir minha pressa, pressa de ter, ser, viver, pois quando um dia passava, não ganhava, mas sim perdia ...
Foi essa pressa, pela urgência dos meus afetos acordei desse sonho e perdi para sempre
Os dentinhos a mordiscarem meus dedinhos...
Perdoo-me, e a mais ninguém ...pois hoje não sonhando, matei um pedaço meu.

terça-feira, 29 de março de 2011

SEM SABER

Pra que amar as conveniências, qualidades, o compreensível ...
Assim o amor não teria sua magia, seu esplendor...
Se diz que me ama porque sou perfeita a seus olhos, não teria tanta valia quanto fosse sem saber ao certo o por quê!
Ame meus defeitos, ame sem saber quem sou, porque assim que te amo!

quinta-feira, 24 de março de 2011

Tudo perde a cor quando a LUCIDEZ se faz...É como a morte

sábado, 19 de março de 2011

MAIS MENINA

Você meu anjo, trouxe-me a vida, o sol e a textura que sempre tive impressa em minha pele
Trouxe-me o eu, particular...
A quem sempre esperei e fui, entretanto calava em reconhecer...
É tão simples olhar-se e dilacerar-se frente ao espelho...
Fragmentei-me em muitas, e hoje estão reunidas em um só corpo
Ansiando em tê-lo, em penetra-las, todas, suprindo-as em suas carências...
E às sacia, uma a uma, transformando-as, unindo-as, em um único momento
Eternizado uma das minhas frações, o meu eu mais menina...

sexta-feira, 11 de março de 2011

AMAR[GO]  O SABOR DE CONVIVER-SE...

quarta-feira, 23 de fevereiro de 2011

nós

Você é o pedaço que me falta...

terça-feira, 15 de fevereiro de 2011

not fair

nessa cidade não para de chover, chuvinha...fina
Trovoadas que embalam a alguns, alagamentos que desesperam outros
Quero dizer, o que encanta meus ouvidos à noite, meus sonhos
é revolta e pânico para outros...
E assim a vida se leva, tristeza de uns alegria para outros...
Onde começa um amor...muitas vezes outro está agonizando seus ultimos momentos
Essa rodaviva em que todos estamos é cabivel de aceitação, o que acho plausivel que nunca haverá
um sol brilhando a todos ao mesmo tempo num mesmo determinado momento, se me permite o pleonasmo
Esse é o meu momento de sol, mesmo com chuva lá fora e tendo a plena convicção que há tempestade
e dor em casa de outrem... ASSIM É A VIDA

domingo, 13 de fevereiro de 2011

INEXISTINDO

Hoje apoderou-se em mim, a certeza da minha inexistência...
Não existir isenta-me
Não sentir, nem sofrer...
Plantar ou colher
Sem passado, nem futuro...
Não fazer mal, nem bem...
Não caminho, mas flutuo...
Nada atinge-me
Nem rasga-me
Posso ser inteira ou metade
Não há mentiras ou verdades
Não existindo, posso ser quem ou o que quiser
Até mesmo, de vez em quando... Ela

quinta-feira, 10 de fevereiro de 2011

mirror

Pergunta:
-O que estou fazendo aqui?
 Não pertenço mais a essas mãos, a essas curvas,
 a esse endereço...
Resposta:
(eco de sua pergunta)
Pergunta:
-Quando vai acabar?Vou chorar, vai doer?Estarei viva ou sobrevivendo?
Resposta:
(eco de sua pegunta)
Pergunta:
-É  você quem diz desejar-me, ou sua solidão?
Resposta:
-Você está onde desejou estar, percorreu curvas para chegar a essas mãos, sobreviverá mesmo que doa ou chore, e sua solidão encontrou-se.

sábado, 5 de fevereiro de 2011

Longe

Pequenos pedaços de nós, nós nos meus cabelos
Você no meu corpo, eu escalando pelos pêlos até
chegar a sugar sua boca, pois a doçura era de uma
crueza irresistível
E assim se fez em mim as quatro estações
Suei
Chovi
Arrefeci
Congelei
Longe, aqui ...eu em mim

quinta-feira, 27 de janeiro de 2011

Break

Ocupada demais....Vivendo!!!!!!!!!!!!!!!!

sábado, 22 de janeiro de 2011

razão vs emoção

Essa noite sonhei contigo...
Na verdade com a sua vida, vivi nela por alguns instantes, passeie
por ela e com ela conversei...
Subindo e descendo muitas escadarias
descobri que ninguém mais o amaria como ela, só ela e por você.
Quão onipotente é o amor que perdoa?
Por isso sempre digo: -Não sei amar!
Deixo-te ir...
Porque em tê-lo, julguei que amava-o...
Enfim, seguro como posso ir-me em um minuto, sonhei exaustivamente que tudo não passa de um sonho...

terça-feira, 18 de janeiro de 2011

Eu meu

Me dourei pele, pêlos e cabelos...
No sol do meu mar, pulei sem medo
No meu mundo, seu mundo, nosso mundo
Criando juntos, imaginando, talhado na água do mar
Sou mar e sol, areia e sal, sonhos e vida...   

domingo, 16 de janeiro de 2011

sem título

Posso falar de mim?Dizer-lhe quem sou?Quantas vezes errei?
Posso contar da minha morte?De como renasci?
Não!?
Sei ao certo, dentro da incerteza das perguntas sem respostas
das sombras no escuro, da cama desalinhada, que estou a caminhar...
  

sombrio

Há corações duros,
Há mentes vazias...
Há crueza de todos os graus
Há o único desassosego da alma
Há o não
Há o medo
Há o inferno particular
Há o limite
Há o adeus
Voltei!
momento meu sem tempo definido, espaço meu ,sem paredes ou conceitos onde digo o que quero mesmo a quem não quer ouvir pois essa sou eu mesma a quem às vezes não quero ouvir

APRECIADORES

TENTANDO DESCOBRIR...

Minha foto
NA DUALIDADE DE MINHA ALMA ANDO CONFUSA...