domingo, 2 de dezembro de 2012

1 ano sem mim

Virei uma palavra refletida em um canto qualquer esquecido, empoeirada
Perdi o brilho, a luz, os ouvintes da expressão imaculada dos meus sonhos
Envelheci, contando horas e segundos
Não sei mais chorar minhas letras, soluçar angustias e desejos, leio-me:
- Essa não sou eu!
Por onde ando, para onde fui?
Se alguém me vir passeando por  alguma sombra, ou por algum lugar de muito sol...
Por favor, diz prá voltar, que estou com saudades.

momento meu sem tempo definido, espaço meu ,sem paredes ou conceitos onde digo o que quero mesmo a quem não quer ouvir pois essa sou eu mesma a quem às vezes não quero ouvir

APRECIADORES

TENTANDO DESCOBRIR...

Minha foto
NA DUALIDADE DE MINHA ALMA ANDO CONFUSA...