segunda-feira, 22 de dezembro de 2014

Um sentir coronariano




Esse é o resumo, de um capítulo mal escrito...
Entre vírgulas e reticências ( ela nunca usa ponto ) o arranjo da prosa soava bem quem a buscasse em suas histórias
 E logo o Epílogo, pulou por entre as pernas (sim neste caso , pernas não braços)

As decisões lhe caem bem, e deixar-se apaixonar ao longo de um capítulo parecia-lhe tentador, quem já não..?

E nesse tempo, que se conta em sóis nascidos, o dela, somente o dela soa mais coerente contar em batidas do coração

Mas onde está?
Ela procurou
Não achou
Nem conseguiu sentir
Mas liquidez faz parte absoluta, ser fluída talvez resolva...

E nos sonhos dormidos, variavelmente em noites infindáveis :
Sentiu o vazio, e contando seu tempo do seu jeito coronariano, continuou sentindo vazio

- Se não te comove,... pra quê?
Foi aí que ela terminou o dia, aquele que contamos em sóis...







sábado, 30 de agosto de 2014

Apenas, nada mais do que fomos

Hoje procurei entre minhas coisas, lá estava você e eu...
Eu, olhar inocente...
Você, apenas você...
O tempo passou, não somos mais...
Deixe-me ir... e levar comigo só as lembranças
Deixe-me ir... e deixe-se ir

sem título

Hoje com um suspiro fundo, depois que lhe dei sua mesadinha
meu filho disse que me amava.
Por que isso não me é suficiente?
Amor mais doce e singelo, que busquei a vida inteira...
Mas preciso de mais, talvez dentro do egoísmo que vivo, o quê faz-me
um estado de imersão de sentimentos, imersão sim, não inversão!
Como se algo estivesse ali mas lá no fundo, guardado.
Imerso mesmo...
Mas o que está latente, me tirando o sono, esse não se encontra afogado
entre meus dilemas do passado.
Está aí prá quem quiser ver, é só olhar com cuidado.

sexta-feira, 15 de agosto de 2014

Descuido


 Você não me apresentou o céu para que pudesse voar!

quinta-feira, 20 de fevereiro de 2014

INOCÊNCIA



Ele chega assim, com um sorriso, um cheiro que só o corpo reconhece
 por isso querem estar sempre perto, abraçando, tocando, um toque no braço...
você nota cada detalhe, unha, dedos, pontinhos nos rosto
 ele não é perfeito,
 nem ela, mas são lindos juntos 
e a conversa desce, redonda, igual diz a propaganda da cerveja...
e querem sempre mais...
nem percebem , mas estar perto se faz necessário
 mais daquele sorriso, mais daquele sentimento que aquece ,
que dá lentes coloridas pra ver o mundo e todos os dias tornam-se dias de sábado ensolarados 
riem de qualquer besteira, comentam coisas bobas da TV, choram de rir do gordo estranho que atravessa a rua...
fazem amor sentindo a pele, o cheiro
 tem que ser ela, tem que ser ele 
percebendo todo e qualquer angulo na junção dos corpos em movimento 
por fim o resultado esta escrito na pupila do outro
e sem nenhuma palavra, um sonoro eu te amo
Às vezes esse céu pode não estar tão colorido assim,
 mas aí, nesse exato momento é quando o calor do corpo do outro faz tanto sentido,
 tão necessário mais que qualquer palavra, 
os atos de cumplicidade à chegada de alguma tempestade faz que os dias de sol de sábado, dê lugar gentilmente a aconchegantes noites de sexta com gostinho de quero ficar em casa com vc, comendo pizza com guaraná
 e essa vontade vai crescendo, desejo da felicidade alheia, desejo de estar ao lado sempre
 o querer bem vai aumentando, o som da voz  que acalma, quando é ele do outro lado da linha
 E assim deveria permanecer por toda integridade real do tempo e da historia de amor
 é assim que eu quero viver imaginando o real significado do AMOR      
momento meu sem tempo definido, espaço meu ,sem paredes ou conceitos onde digo o que quero mesmo a quem não quer ouvir pois essa sou eu mesma a quem às vezes não quero ouvir

APRECIADORES

TENTANDO DESCOBRIR...

Minha foto
NA DUALIDADE DE MINHA ALMA ANDO CONFUSA...