sábado, 30 de agosto de 2014

Apenas, nada mais do que fomos

Hoje procurei entre minhas coisas, lá estava você e eu...
Eu, olhar inocente...
Você, apenas você...
O tempo passou, não somos mais...
Deixe-me ir... e levar comigo só as lembranças
Deixe-me ir... e deixe-se ir

sem título

Hoje com um suspiro fundo, depois que lhe dei sua mesadinha
meu filho disse que me amava.
Por que isso não me é suficiente?
Amor mais doce e singelo, que busquei a vida inteira...
Mas preciso de mais, talvez dentro do egoísmo que vivo, o quê faz-me
um estado de imersão de sentimentos, imersão sim, não inversão!
Como se algo estivesse ali mas lá no fundo, guardado.
Imerso mesmo...
Mas o que está latente, me tirando o sono, esse não se encontra afogado
entre meus dilemas do passado.
Está aí prá quem quiser ver, é só olhar com cuidado.

sexta-feira, 15 de agosto de 2014

Descuido


 Você não me apresentou o céu para que pudesse voar!
momento meu sem tempo definido, espaço meu ,sem paredes ou conceitos onde digo o que quero mesmo a quem não quer ouvir pois essa sou eu mesma a quem às vezes não quero ouvir

APRECIADORES

TENTANDO DESCOBRIR...

Minha foto
NA DUALIDADE DE MINHA ALMA ANDO CONFUSA...