segunda-feira, 22 de dezembro de 2014

Um sentir coronariano




Esse é o resumo, de um capítulo mal escrito...
Entre vírgulas e reticências ( ela nunca usa ponto ) o arranjo da prosa soava bem quem a buscasse em suas histórias
 E logo o Epílogo, pulou por entre as pernas (sim neste caso , pernas não braços)

As decisões lhe caem bem, e deixar-se apaixonar ao longo de um capítulo parecia-lhe tentador, quem já não..?

E nesse tempo, que se conta em sóis nascidos, o dela, somente o dela soa mais coerente contar em batidas do coração

Mas onde está?
Ela procurou
Não achou
Nem conseguiu sentir
Mas liquidez faz parte absoluta, ser fluída talvez resolva...

E nos sonhos dormidos, variavelmente em noites infindáveis :
Sentiu o vazio, e contando seu tempo do seu jeito coronariano, continuou sentindo vazio

- Se não te comove,... pra quê?
Foi aí que ela terminou o dia, aquele que contamos em sóis...







Nenhum comentário:

momento meu sem tempo definido, espaço meu ,sem paredes ou conceitos onde digo o que quero mesmo a quem não quer ouvir pois essa sou eu mesma a quem às vezes não quero ouvir

APRECIADORES

TENTANDO DESCOBRIR...

Minha foto
NA DUALIDADE DE MINHA ALMA ANDO CONFUSA...